Cabeleireiro de Fábio de Melo e Latino vê atendimento em domicílio disparar

Profissional da Cali Republic Barbearia e Galeria, Neto Vitoriano passou a atender na casa dos clientes e fez adaptações nos serviços

Na capital e em diversas cidades brasileiras, os salões de beleza estão com as portas fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus. Já que não podem ir ao espaço físico, a opção encontrada pelos homens para dar um trato no visual foi chamar o profissional em domicílio. Um dos nomes do time da Cali Republic Barbearia e Galeria, Neto Vitoriano tem ido até a casa da fiel clientela cortar o cabelo e fazer a barba.

Neto já costumava atender no lar dos clientes. “Eram bem poucos”, destaca. Com a quarentena, ele viu a procura pelo serviço disparar. Mas, na ocasião, precisou fazer adaptações a fim de garantir sua segurança e das pessoas residentes nas casas visitadas.

Luvas e máscaras eram usadas pelo profissional antes da pandemia da Covid-19, mas sem obrigação. Atualmente, os materiais de segurança se juntaram aos utensílios de trabalho de Neto, além de álcool em gel e propé (protetor descartável evita que os calçados contaminem os ambientes).

“Quando chego à casa do cliente tiro o sapato, às vezes, eu levo até um protetor de pé para não entrar na casa do cliente e contaminar. Não quero levar nada para eles”, reforça. Como medida de precaução, Neto busca prestar seu serviço fora da casa, de preferência em uma área externa. Na avaliação do profissional da Cali Republic, todo cuidado é pouco.

O cabeleireiro passou a atender na casa dos clientes

Tesouras, lâminas, pinças, secador de cabelo, aparador de pelo, entre outros utensílios passam por higienização após cada atendimento, quando não devem ser descartados. “Levo todos os meus materiais para oferecer um trabalho com a qualidade da barbearia, porém, fica em destaque a comodidade por parte do cliente”, conta.

Fazer a barba, cortar o cabelo e a manutenção da prótese capilar são os serviços mais requisitados pelos clientes. O terceiro procedimento deve ser realizado a cada 20 dias, no mínimo, devido exigir cuidado especializado, conforme explica Neto. “A barba é bastante demandada. Os homens não ficam com os fios grandes, porque remete ao desleixo”, ressalta o barbeiro.

Até o momento, dois clientes solicitaram os serviços para raspar a cabeça. Por dia, chegam a nove o número de atendimentos, podendo aumentar a depender da localização e da rota feita por Neto.

Cortar o cabelo e fazer a barba são os serviços mais solicitados
O profissional cria uma rota para atender os chamados diários

A cada cliente que liga, ele traça um trajeto para minimizar o tempo de espera e custos com o combustível. Lago Sul, Asa Norte e Asa lideram os chamados em relação ao Sudoeste, Noroeste e Lago Norte.

Ao longo da carreira, ele repaginou algumas personalidades conhecidas, como o padre Fábio de Melo, o piloto Felipe Nasr e o cantor Latino. Jogadores de futebol também estão na lista de atendimentos do barbeiro, como o pentacampeão Lúcio e Hugo Leonardo, do São Paulo Futebol Clube (SPFC).

Mesmo quando o confinamento acabar, Neto acredita que o serviço em domicílio continuará em alta devido à comodidade: “A clientela não perde tempo de deslocamento para chegar ao salão ou empresa especializada. No tempo economizado, ficam com a família e usam de modo proveitoso”.

Os atendimentos no lar são divertidos por envolver familiares do cliente. A maioria fica surpresa com a transformação realizada ao vivo. “Costumam registrar quando atendo em casa. Na maioria das vezes, as mulheres nunca foram à barbearia com o namorado ou marido. Elas acham interessante a mudança com um corte de cabelo”, afirma Neto.

Por dia, o profissional faz até nove atendimentos

O cabeleireiro e barbeiro pode ser contatado pelo WhatsApp (61) 99186-1102.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.