Conheça a pegada sustentável do estilo Organic Modern

Por meio da sustentabilidade, as pessoas estão buscando fluidez natural para a casa e uma construção estética mais orgânica

atualizado 07/06/2019 18:02

Cada vez mais e mais casas têm adotado decorações com pegadas naturais: simples, básicas, neutras e aconchegantes. A tendência já é realidade em várias esferas da vida urbana, seja em pessoas que querem comer comidas mais orgânicas, usar produtos orgânicos, vestir roupas com materiais mais naturais, viver estilos de vida mais saudáveis ou que impactem cada vez menos na natureza.

Na decoração, o estilo batizado de organic modern transparece de uma forma muito simplificada. As pessoas querem adotar essa fluidez natural para a casa e deixam que a construção estética do espaço aconteça de forma orgânica.

As escolhas acontecem em consonância com o desenvolvimento sustentável. O impacto ambiental deve ser mínimo, o consumismo, evitado, e o reaproveitamento é quase regra.
E isso não resulta em escolhas ruins para a casa, ou na impossibilidade de se ter um lar bonito. Pelo contrário. É um estilo que facilita a construção de uma identidade verdadeira, sem tantos modismos e luxos que facilmente são armadilhas para o bom gosto.

Ainda assim, para adotar essa pegada “natureba” e dar um visual interessante para o espaço, é preciso um bom olho para tornar o simples em algo aconchegante e bonito.

Se as ideias centrais do movimento organic modern estão na sustentabilidade, a preferência é readaptar móveis de família ou garimpados em antiquários, reaproveitados e reformados. Não fazer obras que gerem lixo ou tenham apenas apelo estético.

As reformas são focadas na função. O estilo também rejeita a ideia de que o design é um produto meramente decorativo, mesmo que a ornamentação da casa exista. O objeto preza sempre pela funcionalidade.

As cores, em geral, seguem paletas muito neutras: móveis de madeira natural e tecidos de algodão, sempre em tons claros. Plantas colorindo os ambientes. Objetos antigos e pouca contemporaneidade, uma vez que ela é fruto do consumo.

SOBRE O AUTOR
Maria Fernanda Seixas

Jornalista e designer de interiores por formação, é apaixonada pelo processo de transformação de espaços em lares cheios de identidade e conforto.

Últimas notícias