*
 
 

No ciclo sem fim de renascimento de tendências, chegou a vez de assistir o design de interiores reciclar um dos maiores ícones arquitetônicos do estilo modernista: o pano de vidro. Só que ao invés de mantê-lo nas fachadas das construções, como no período pós revolução industrial, o pano de vidro migrou para o interior das casas, levando toda a elegância dos tempos da Bauhaus para o nosso dia a dia.

Os panos ou peles de vidro são grandes vidraças divididas em esquadrias retangulares, geralmente feitas de ferro, que substituíam as fachadas de prédios. Para fazer essa substituição, os arquitetos removiam os suportes de carga da fachada do projeto, jogando o peso de toda a estrutura em colunas internas. Sem o papel estrutural, a fachada ganhava essas membranas de vidro que permitiam a livre entrada de luz e um controle maior de ventilação das estruturas.

O elemento envolveu algumas das mais famosas edificações da primeira metade do século XXI. A mais emblemática delas foi a sede da  Bauhaus, em Dessau, na Alemanha. Sua fachada em pano de vidro virou a principal referência desse estilo de elemento arquitetônico.

Resultado de imagem para janela bauhaus

Outras construções famosas como a casa cascata nos Estados Unidos,de Frank Lloyd Wright; ou mesmo a brasileira casa de vidro, da arquiteta Lina Bo Bardi, abusavam desse elemento.

Imagem relacionada

O interior da casa de vidro, de Lina Bo Bardi

Mas enquanto o pano de vidro trazia um novo visual para o exterior das construções modernistas, seu efeito estético também era sentido por quem estava do lado de dentro dessas estruturas.

Escadaria da Bauhaus

 

A iluminação farta e o geometrismo das esquadrias tinham um valor decorativo gigantesco nos ambientes internos. Um século depois, o design re-significa esse elemento, em menor escala: agora ele é inspiração para divisórias, janelões, paredes internas e portas de casas e apartamentos.

 

Para quem ficou interessado, existem diferentes maneiras de instalar paredes de vidro na casa, que dependem diretamente da altura do pé direito e do tamanho do vão. É indicado o uso de vidro laminado e, para as esquadrias, perfis de metalon, que são estruturas de aço super resistentes comumente usadas para construir essas estruturas. É possível fixar os painéis de vidros apenas no chão e no teto com ajuda de alguns suportes próprios. Para aberturas das folhas, quando desejado, pode-se usar sistemas deslizantes, pivotantes, basculantes, aberturas sanfonadas ou aberturas comuns. Pode-se ainda utilizar armações internas no próprio vidro e prendê-los com botões de aço.

 

Imagem relacionada

Luz e ventilação, com janelas pivotantes operadas por roldanas

 

Entre cozinha e a sala, um toque de Bauhaus no ambiente

 

Imagem relacionada

Janelões com esquadrias de ferro trazem o clima modernista pro ambiente com pegada industrial

Imagem relacionada

Dividir ambientes permite o fluxo livre de luz pela casa

 

 Divisão | Esquadrias corrediças de ferro foram projetadas pelo Ouriço Arquitetura para separar de forma leve a cozinha do living. Ao centro, cômoda do antiquário Arnaldo Danemberg, e, sobre ela, luminária da ViaManzoni. Projeto Ouriço Arq. (Foto: Foto: André Nazareth/Divulgação)

Ao substituir paredes, as esquadrias e o vidro dão a sensação de amplitude para os espaços internos

 

Para a parede do banheiro, vidro fosco nas esquadrias pretas

 

Portais e portas ganham uma nova bossa

 

Imagem relacionada

Quando o pano de vidro divide ambientes, as cortinas garantem a privacidade.

 

Imagem relacionada

O pano de vidro pode surgir também como divisória fixa, sem janelas ou portas

 



 


bauhauspano de vidro