Flordelis volta às redes sociais e faz textão em sua defesa: “Eu que perdi”

Deputada federal é suspeita de ser a mandante do assassinato do marido. Ela nega as acusações

A deputada federal Flordelis, acusada de envolvimento na morte de seu ex-marido, o pastor Anderson do Carmo, retornou às redes sociais na terça-feira (02/09) para se defender. Ela citou um versículo bíblico, pediu para seu direito à defesa ser respeitado e alegou estar sendo vítima de uma injustiça.

“Muito tem sido dito na mídia, das formas mais cruéis, sem que eu tenha qualquer chance de defesa. Estou sendo condenada, sem nem ter direito a julgamento. Eu não tenho o que esconder, eu não mandei matar o meu marido. Se alguém perdeu com a morte dele, fui eu, ele era tudo pra mim, meu companheiro que me ajudava e me guiava, inclusive em todos os aspectos práticos da vida”, declarou.

1/9
Marco Antônio Ferraz e Flordelis
Documentário narrou a trajetória de Flordelis
A parlamentar foi acusada pelo Ministério Público como a mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo
Flordelis responde processo na Corregedoria
"Fomos a Copacabana, andamos no calçadão, fizemos as brincadeiras, andamos na praia. Depois fomos para o carro, ele pegou uma pista deserta. Nós paramos ali, namoramos, que era uma coisa normal nossa, na estrada", disse a deputada
Segundo Flordelis, no dia do assassinato, ela e Anderson chegaram em casa já de madrugada, em torno das 3h
"Me beijou bastante, eu sentei no capô do carro e tivemos relações. Falei 'Amor, amanhã a gente vai acordar cedo, né?'. Isso foi por volta de 2h e alguma coisa", completou a deputada
Flordelis em áudio para sua igreja: "Vamos vencer esta batalha na oração", em referência ao caso do assassinato
Deputada Flordelis, que recentemente teve o marido assassinado, retorna à Câmara

Ela ainda apelou, mais uma vez, para o histórico de cristã. “Olhem para a minha trajetória até agora, não há nada do que possam me acusar, sempre fui uma serva de Deus, vivendo o caminho que Ele traçou para mim. Antes de me sentenciarem, me deem o direito de defesa. Eu sei que a verdade vai prevalecer”, declarou.