Felipe Neto e pai de Melody chegam a acordo sobre futuro da jovem

Depois de banir MC Melody de seu canal, o youtuber propôs acompanhamento psicológico e pedagógico da garota funkeira de apenas 11 anos

Após polêmica envolvendo Mc Melody e Felipe Neto, nessa quarta-feira (16/1), o youtuber foi ao Twitter para divulgar nova decisão em relação ao pai da jovem cantora. Em nota publicada na noite de quinta (17), Neto anunciou que, após conversar com Thiago Abreu, pai de Melody e Bella Angel, os dois decidiram iniciar um acompanhamento pedagógico e psicológico das cantoras mirins, com profissionais especializados em educação infantil.

Além disso, será feita uma seleção dos conteúdos publicados pelas influenciadoras, de apenas 11 e 14 anos, com o objetivo de eliminar toda publicação que comprometa a inocência compatível com suas idades. “O objetivo é proteger Melody e Bella e levar um acompanhamento que possa guiá-las nesse mundo de superexposição, corrigir seus comportamentos e fazer com que tenham uma vida sempre saudável, física e mentalmente”, a assessoria do youtuber informou.

1/10
Esta é MC Melody
Melody tem apenas 13 anos
A exposição das jovens fez com que Felipe Neto se envolvesse na situação
O youtuber disse que o pai de Melody, Thiago Abreu, é o culpado pela erotização e sexualização das filhas
A menina tem 6,4 milhões de seguidores em seu perfil no Instagram
Ela está sempre aparecendo em fotos com maquiagem pesada, cabelos tingidos e poses sensuais
Felipe Neto disse que eles são "radioativos"
O conteúdo já viralizou
Ele diz sofrer ataques nas redes sociais
Veja a nota publicada por Felipe Neto sobre o desfecho da confusão

Felipe Neto também acionou Sabrina Bittencourt, fundadora da Escola com Asas e do programa latino-americano Jóvenes Transformadores, que aceitou a oportunidade de se tornar mentora das filhas de Thiago Abreu. Uma equipe de profissionais da área terapêutica, artística e pedagógica trabalharão em conjunto com toda a família de Melody.

O pai das garotas concordou com as medidas, aberto para “evoluir e melhorar todos os aspectos que envolvem a situação”. Todos os custos do procedimento serão pagos por Felipe Neto, em conjunto com Sabrina Bittencourt, doutora Honoris Causa em educação disruptiva e ativista social que trabalha há 20 anos em causas de proteção a grupos de vulnerabilidade.

Veja a nota publicada por Felipe Neto: