Carro novo, seminovo ou usado: veja dicas para escolher o seu

O veículo zero-quilômetro pode ser o sonho de muita gente, mas nem sempre será vantajoso

Rafaela Felicciano / MetrópolesRafaela Felicciano / Metrópoles

atualizado 05/02/2020 8:37

A hora de comprar um carro é sempre um momento de decisão. Principalmente se o consumidor ainda não se decidiu se prefere um novo, um seminovo ou um usado. Sim, porque nem sempre é um bom negócio ter um veículo zero-quilômetro.

Há vantagens e desvantagens em cada categoria. Não existe uma resposta definitiva porque a pergunta leva em conta variáveis: o objetivo da compra, a necessidade de se ter um veículo, o dinheiro em conta ou se o pagamento será à vista ou a prazo.

Vale a pena também considerar o momento econômico vivido no país, as taxas de juros cobradas e até o tempo que você quer dedicar na manutenção do automóvel.

Confira os prós e os contras de adquirir o bem em cada uma das situações:

Carros novos

Vantagens
Ir à concessionária e escolher um automóvel zero-quilômetro tem um valor que está além do palpável: é o psicológico de ver o dinheiro conquistado com suor se transformar em um produto de sonho. Mas não é só a parte subjetiva que deve ser levada em conta em um momento tão importante.

Ter a garantia de fábrica, que varia de três a cinco anos, pode valer muito a pena porque é uma segurança a mais. Há também o fato de o consumidor não precisar se preocupar com a manutenção durante um bom tempo e a burocracia ser menor. Geralmente, a concessionária cuida de todos os pormenores junto ao Detran, por exemplo.

Existe também vantagens financeira. Normalmente, é mais fácil conseguir um financiamento com taxas menores nos automóveis novos. Assim como é possível conseguir bons descontos e bônus, como o IPVA do primeiro ano pago. Aí, a questão é pechinchar e pedir. Por fim, na hora de revender, é muito mais fácil passar para frente um carro de dono único e que não seja tão antigo.

Desvantagens
Se a pessoa considera o carro zero-quilômetro como um investimento, a aquisição dele se torna uma desvantagem em si. O principal contra, nesse caso, é a desvalorização exagerada assim que o bem sai da concessionária.

No geral, o preço de um automóvel cai entre 10% e 15% logo no primeiro ano. Em uma olhada rápida na tabela Fipe, isso fica evidente. Um Ford Ka+ Sedan 1.0 SE/SE Plus TiVCT Flex, quatro portas, por exemplo, sai por um valor médio de R$ 49.420. O modelo 2019 pode ser comprado por R$ 43.456.

E a queda segue grande nos três primeiros anos. Assim, se o consumidor pensar em adquirir um zero-quilômetro e vendê-lo nesse período, é bom pensar de novo para não perder tanto dinheiro.

Seminovos e usados

Vantagens
O seminovo é definido por ser um carro que já saiu da concessionária e rodou – mesmo que seja pouco. A maior vantagem, sem dúvida, é que você pode conseguir um modelo muito pouco usado por um preço bem melhor. Por isso, é bom fazer as contas e pesquisar para ver se realmente vale e pena financeiramente.

É possível conseguir um modelo com diversos opcionais, como ar-condicionado e câmbio automático, e pagar menos do que um zero-quilômetro sem os mesmos benefícios.

O cliente também fica satisfeito porque não vai bancar a desvalorização imediata de um novo e, mesmo assim, pode ter a garantia de fábrica — só é preciso ficar atento aos pormenores do contrato e se a montadora fala sobre o assunto.

Desvantagens
O grande problema é não ter certeza de que o carro se encontra em bom estado. Mesmo que ele seja seminovo, caso o consumidor não conheça o dono anterior, não é possível saber se o automóvel tem algum problema, se foi “bem tratado” e se existe algum desgaste exagerado.

O melhor a se fazer é procurar um mecânico e pedir para uma revisão geral antes da compra. Também é bom exigir o manual para ver se as primeiras revisões foram feitas de acordo com o que é pedido pela fábrica. Observar a quilometragem se torna outro ponto de destaque na hora da compra.

Outro contra é a forma de se adquirir o bem. Do mesmo modo que as concessionárias dão facilidades para o pagamento, o mesmo não acontece com um seminovo. Geralmente, não são tantas parcelas, o que pode pesar na hora do orçamento de casa.

Dicas

De uma forma ou de outra, tenha em mente algumas dicas que são muito úteis na hora da decisão e da compra.

  • Pesquisar nunca é demais. Compare modelos e preços e use a tabela Fipe;
  • Não deixe de fazer o test drive. Se puder levar um mecânico de confiança (no caso de seminovos e usados), melhor ainda;
  • Leve em consideração valores de impostos, licenciamento, consumo na hora e valor do seguro de fazer as contas;
  • Peça documentação e pesquise por multas, no caso de seminovos e usados;
  • Olhe na internet para ver a loja da qual você está comprando.

Últimas notícias