Wajngarten rebate presidente do Albert Einstein: “Busca holofotes”

Lottenberg criticou promoção de medicamentos sem eficácia comprovada contra Covid. Wajngarten diz que médico quer politizar a pandemia

atualizado 15/02/2021 15:14

Fabio Wajngarten, chefe da Secom de BolsonaroMichael Melo/Metrópoles

O secretário especial de Comunicação do Ministério das Comunicações Fabio Wajngarten rebateu, nesta segunda-feira (15/2), declarações do presidente do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, Claudio Lottenberg.

Em vídeos recentes nas redes sociais, o médico oftalmologista criticou a promoção de medicamentos sem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19. Lottenberg citou a cloroquina e a recente defesa que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem fazendo de um spray contra a doença desenvolvido em Israel.

Veja vídeo de Lottenberg:

Em resposta, Wajngarten disse que Lottenberg é quem politiza a pandemia e busca holofotes e o chamou de “garoto de recados de um governador”. Para o secretário especial da pasta das Comunicações, o médico não aceitou ser preterido para o Ministério da Saúde.

Veja o tuíte de Wajngarten:

Por duas oportunidades, na saída de Luiz Henrique Mandetta e de Nelson Teich do Ministério da Saúde, Lottenberg foi cotado para assumir a pasta. Ele foi secretário municipal de Saúde de São Paulo em 2005, na gestão de José Serra (PSDB), mas permaneceu à frente da pasta por apenas três meses.

Seu nome acabou descartado em razão da proximidade com o governo João Doria (PSDB) e das críticas à expansão do uso da cloroquina em casos leves de Covid-19, determinada por Bolsonaro. O cargo foi assumido em definitivo pelo general da ativa Eduardo Pazuello.

Últimas notícias