*
 

“Querida vizinha, se você não consegue calar sua filha, arranje quem cale, pois o choro dela está atrapalhando o sono dos meus filhos. Obrigada.” Esse foi o recado que uma mãe de um bebê de 4 meses recebeu de uma vizinha em um prédio de Vitória (ES).

A reação deixou a mulher indignada, principalmente porque sua filha é alérgica à proteína do leite de vaca (APLV), o que faz ela ter, entre outros sintomas, irritação gástrica e privação de sono. Ela usou as redes sociais para externar sua revolta.

“Esse texto foi para dizer que hoje aqui na minha casa foi um dia extremamente difícil pois a minha bebê chorou muito. E eu chorei por ver que no mundo ainda existem pessoas sem coração. Devido a essa enorme irritação que minha bebê apresentou hoje, recebi um recadinho debaixo da minha porta que me entristeceu bastante. Talvez o meu vizinho não tenha provado o sabor amargo da maternidade, aquele sabor que nos desafia e nos torna uma pessoa melhor, mais amorosa e mais tolerante. Eu não sei quem deixou isso na minha porta, mas não há dúvida nenhuma que em nenhum lugar do mundo vai existir alguém mais interessado em calar o filho do que a própria mãe”, escreveu.

A mulher, que é farmacêutica, ainda explicou como se dava a alergia da menina, além de falar sobre a dieta restritiva que a recém-nascida precisa ter. “O APLV apresenta-se de diversas maneiras nos bebês. Não se sabe exatamente a causa. Só sabemos que cada vez mais bebês apresentam essa alergia. No caso da minha filha, além de causar lesões no trato gastrointestinal, a alergia provoca muita irritação, muito choro, além da privação do sono. Apesar de estar em dieta restritiva, cometi alguns furos, o que voltou o processo alérgico e inflamatório todo de novo”.

 

 

 

COMENTE

desabafoalergiaaplv
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil