Vídeo: mulher alega assédio ao justificar soco de marido PM em cliente de bar

Esposa de policial flagrado em agressão diz que cliente de bar a "abraçou pela cintura". Tenente bateu com arma no rosto de homem

atualizado 26/07/2021 17:32

pm agride bar goiasReprodução

A esposa do policial militar que foi flagrado de arma na mão, dando socos e pontapés em um cliente de um bar, publicou um vídeo em suas redes sociais em defesa do marido. A agressão aconteceu em Santa Terezinha de Goiás, na madrugada do último domingo (25/7).

A personal trainer Kely Morais relata que as agressões foram uma resposta a um assédio que ela teria sofrido. O marido, o segundo tenente Wilson Silva de Oliveira, teria perdido a cabeça e partido para cima do assediador.

Um vídeo flagrou quando ele bate com uma pistola na cara de outro cliente, em meio ao estabelecimento lotado. Kely aparece no final do vídeo, tentando conter o marido.

Assédio e agressão

O casal estava sozinho em uma mesa do bar, quando Kely teria se sentido incomodada com os olhares de um homem de outra mesa. A personal e o militar teriam trocado de lugar na mesa para evitar o contato visual com o rapaz.

No entanto, enquanto Wilson estava no banheiro, Kely teria sido abraçada por trás pelo homem desconhecido. Ele teria aproximado o rosto do dela à força e falado que a personal era muito gostosa, que não teria resistido e que seu vestido era delicioso.

“Eu me senti nesse momento, muito desrespeitada, tanto fisicamente, como verbalmente, pelas palavras que ele disse ao meu respeito”, diz Kely em vídeo.

A personal relata que contou sobre o assédio para o marido, quando ele voltou do banheiro. Só depois disso é que teriam começado as agressões, inicialmente com socos e pontapés.

pm agride bar goias
Kely conta que cliente de bar abraçou ela por trás. Marido bateu arma na cara

Kely garante que a arma caiu no chão por acidente e que o marido segurava a pistola, no momento em que foi filmado, porque não teve condições de devolvê-la para o coldre. A arma seria de uso pessoal e não do trabalho. Ela abriu um boletim de ocorrência por importunação sexual.

Exonerado

Por conta do vídeo comprovando as agressões, o tenente Wilson vai ser exonerado de um cargo comissionado de gerente na Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon), segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSPGO).

Em nota, a SSPGO também informa que determinou a instauração de um procedimento administrativo disciplinar para apurar a conduta do militar.

Ainda no documento, a secretaria chama a ocorrência de ação isolada, que não condiz com as diretrizes das instituições que compõem o órgão.

Últimas notícias