Vacinados contra Covid terão prioridade nos ônibus em Goiânia

Quem tomar as duas doses da vacina terá acesso livre ao transporte que continua com embarque prioritário para trabalhadores essenciais

atualizado 29/03/2021 18:50

Enfermeira prepara vacina contra Covid-19 em GoiâniaVinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – As pessoas que tomarem as duas doses da vacina contra a Covid-19, na Região Metropolitana de Goiânia, terão acesso livre ao transporte público da região, inclusive durante o período estabelecido para o embarque prioritário dos trabalhadores de atividades essenciais.

A medida será mantida pelas empresas nos terminais e veículos, mesmo com a publicação de um novo decreto que permite a reabertura do comércio na capital goiana a partir da próxima quarta-feira (31/03).

A informação é do secretário-Chefe Geral do Governo de Goiás, Adriana da Rocha Lima. Segundo ele, aqueles que tomarem a segunda dose da vacina não farão parte das restrições ao transporte coletivo. Isso vale a partir de 15 dias após a aplicação da segunda dose.

“A primeira medida é que depois de quinze dias de tomada a segunda dose, o CPF daqueles cidadãos que tomaram a segunda dose, terão passe livre, no sentido que não haverá nenhuma restrição de horário à eles mesmo de atividades não essenciais”, disse Rocha Lima, em entrevista à TV Anhanguera, na manhã desta segunda-feira (29/3).

Positivados

Segundo o secretário-chefe, por outro lado, haverá restrição para aqueles que testarem positivo ao coronavírus e por acaso, estejam dentro do grupo considerado prioritário. Neste caso, o impedimento do acesso destas pessoas no transporte coletivo será de 15 dias.

“Da mesma forma, aqueles que testaram positivo, durante os quinze dias seguintes eles estarão bloqueados no acesso ao sistema ainda que forem trabalhadores de atividades essenciais e tiverem feito o cadastro. Isso é uma forma de evitar que o contaminado trafegue e permitir aquele que vacinou depois de passado o tempo do efeito da vacina que possa trafegar normalmente”, disse ele.

0
Estratégia continuada

A medida do embarque prioritário para trabalhadores de serviços essenciais no transporte coletivo, inicialmente, seria encerrada nesta terça-feira (30/03). No entanto, mesmo com a publicação de um novo decreto para a capital goiana que permite a reabertura do comércio na quarta-feira (31/03), a decisão foi mantida.

De acordo com Adriano da Rocha Lima, a estratégia funcionou bem durante os últimos cinco dias, diminuindo as aglomerações nos ônibus, terminais e estações em até 50%, o que faz com que a medida se mantenha pelos próximos 14 dias de reabertura. 

A estratégia, conforme ele, força um escalonamento, não só para embarcar no transporte público, como também para os comércios e lojistas, e vai de encontro ao que o decreto da Prefeitura de Goiânia estabelece, já que o horário de funcionamento será entre às 9h e às 17h.

Embarque prioritário

Começou na última terça-feira (23/3), o funcionamento da medida estipulada pelo poder público para tentar conter as aglomerações nos terminais de ônibus e, por consequência, o avanço da Covid-19. O foco é reduzir a quantidade de pessoas em circulação nos horários de pico.

Nos intervalos das 5h45 às 7h15 e das 16h45 às 18h15, somente trabalhadores dos serviços essenciais e que estão com o funcionamento autorizado por decreto podem embarcar. Para isso, no entanto, é preciso fazer o cadastro no site da Rede Metropolitana do Transporte Coletivo (RMTC).

Apesar do decreto editado pelo Governo de Goiás, que passou a valer no dia 17/3, citar a possibilidade de identificação e liberação por meio de documentos que comprovem o vínculo empregatício, como carteiras de trabalho, crachás e contratos trabalhistas, a RMTC decidiu, no entanto, adotar o cadastro eletrônico.

Segundo a rede, no primeiro dia de funcionamento da medida, 70.356 pessoas já haviam feito o cadastro. Dessas, 41.364 anexaram os documentos solicitados e 28.992 apresentaram somente a justificativa. Quem teve problema no acesso, deve entrar em contato pelo 0800 648 2222.

Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), responsável por fiscalizar o serviço, definiu que os ônibus podem circular somente com 50% da capacidade. A medida é um complemento ao decreto da Prefeitura de Goiânia que determina que apenas passageiros sentados podem ser transportados.

Proteção

Ainda para tentar conter o avanço da Covid-19 entre os usuários do transporte coletivo, os mesmos ganharam máscaras do modelo N95. A promessa do Governo de Goiás foi de entregar 280 mil unidades em uma semana em todos os terminais de ônibus do sistema.

As máscaras N95 são mais reforçadas do que as comumente utilizadas pela população, em geral, que são as de tecido. Depois de fazer a primeira vítima em Goiás, a transmissão comunitária das novas variantes do coronavírus e a lotação dos ônibus passaram a preocupar ainda mais o governo do estado.

Últimas notícias