Turma da Mônica e especialistas fazem campanha em defesa de vacinas

Contra o negacionismo envolvendo a imunização contra a gripe e a Covid-19, por exemplo, médicos e laboratórios convocam brasileiros

atualizado 14/04/2021 12:32

Reprodução/Prefeitura de Manaus

Contra o negacionismo da eficácia da vacinas, um grupo de especialistas, laboratórios e órgãos governamentais lançaram uma campanha de conscientização para alertar os brasileiros sobre a importância da imunização para a prevenção de doenças e preservação da saúde pública.

Nesta quarta-feira (14/4), representantes do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Instituto Butantan, do laboratório Sanofi Pasteur e gestores de educação e saúde frisaram a importância de se imunizar contra a gripe, campanha iniciada pelo Ministério da Saúde na última segunda-feira (12/4).

Também sublinharam a importância de procurar as doses contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O principal alerta, neste primeiro momento, é a necessidade da imunização de crianças (entre 6 meses e menores de 6 anos) contra a gripe. Esse público é considerado um dos principais disseminadores do vírus.

Uma alta da doença pode sufocar ainda mais a rede hospitalar, que já está sobrecarregada.

“O objetivo é alcançar 90% da população dos grupos prioritários. Evitar contaminação da população e mortes. Precisamos que essa população vá se vacinar. A partir da vacina conseguimos evitar complicações”, explica Adriana Lucena, coordenadora substituta do PNI.

Maurício de Sousa

Para este público, a campanha conta com o apoio da Turma da Mônica. O criador do quadrinho, Maurício de Sousa, saiu na defesa da imunização e criticou a disseminação de notícias falsas sobre a vacinação. Em São Paulo, por exemplo, serão distribuídos gibis nas escolas para auxiliar na conscientização.

“A Turma da Mônica é o elo para levar às crianças, às casas, às escolas a importância da vacinação com informações corretas, adequadas. Nossos roteiristas estudam com bastante profundidade as informações que as autoridades de saúde nos passam”, frisa.

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, fez um apelo à população. “Temos que lembrar que vacina é um grande predicado de países desenvolvidos. Sempre nos orgulhamos do nosso PNI. Vacinar é proteger a vida e a saúde”, salientou.

O diretor-Presidente da Fundação Butantan, Rui Curi, pediu para que as pessoas consultem fontes seguras de informação sobre as vacinas e convidou a população a se imunizar. “A arma mais importante contra as fake news é a educação. A vacina é uma aliada na prevenção de doenças”, concluiu.

A vacinação contra a gripe segue um calendário de prioridades. Ao todo, a intenção do Ministério da Saúde é imunizar cerca de 80 milhões de pessoas este ano.

Últimas notícias