TRT do Rio afasta quatro desembargadores e juiz presos

Acusados são investigados por receberem vantagens indevidas para beneficiar esquema criminoso supostamente instalado no governo Witzel

atualizado 04/03/2021 17:28

Rio de Janeiro – Os quatro desembargadores e um juiz presos na Operação Mais Valia foram afastados por decisão do Tribunal Pleno do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-RJ). A operação é um desdobramento da Operação Tris in Idem, que em agosto de 2020 afastou do cargo o governador do RJ, Wilson Witzel (PSC), na crise dos gastos na pandemia.

A decisão aconteceu numa sessão extraordinária telepresencial. Por unanimidade, foi decretado o afastamento cautelar, por tempo indeterminado não inferior a 90 dias, dos desembargadores Marcos Pinto da Cruz, Antônio Carlos de Azevedo Rodrigues, Fernando Antônio Zorzenon da Silva e José da Fonseca Martins Junior, e do juiz do trabalho Múcio Nascimento Borges.

Segundo a corte, a medida disciplinar tem como base o parágrafo 1º do artigo 15 da Resolução 135/2011 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os magistrados se encontram presos em Benfica.

O Ministério Público Federal (MPF) apura o pagamento de vantagens indevidas a magistrados, que, em contrapartida, teriam beneficiado integrantes do esquema criminoso supostamente instalado no governo Witzel — que no mês passado virou réu por corrupção e lavagem de dinheiro.

Últimas notícias