Transporte interestadual se adapta para proteger passageiros do coronavírus

Abrati estimula associadas a criar espaços de venda e embarque nos aeroportos do país; 1ª será inaugurada no Aeroporto de Brasília

atualizado 12/01/2021 13:08

Passageiros aguardam para embarcar em frente a ônibus verdeMatheus Garzon/Metrópoles

Para estimular o turismo e, mesmo assim, proteger os passageiros do coronavírus, a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati) estimula as associadas a criar espaços de venda de passagens on-line e outras facilidades que buscam reduzir os riscos de transmissão, dando mais conforto ao passageiro, como pontos de embarque e venda em aeroportos do país.

A primeira delas será inaugurada em breve no aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, com vendas de passagens para destinos que utilizam Brasília como hub, ou seja, como um grande ponto de distribuição de passageiros para cidades do interior de Goiás, Tocantins, Bahia e outros.

Por exemplo, uma pessoa que tem como origem ou destino as cidades de Anápolis (GO), Campos Belos (GO) ou Alto Paraíso de Goiás (GO), com destino a São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), ou qualquer outra capital, poderá fazer uma viagem com mais conforto e agilidade, utilizando o avião e os ônibus para a ligação rodoviária, sem ter que se deslocar ao terminal rodoviário em Brasília e dali mesmo já seguir de ônibus para a sua cidade.

“Nosso objetivo é dar conforto, preço acessível e agilidade ao passageiro, facilitar a vida dele, com uma infraestrutura adequada e segurança, especialmente no período pós-pandemia, quando viajar pelo Brasil certamente ainda será o mais seguro a se fazer”, explica Letícia Pineschi, conselheira da Abrati.

0

Letícia ainda afirmou que a inauguração da agência é a primeira etapa do projeto, mas a ideia é que, em breve, as linhas de ônibus possam atender direto dos diversos aeroportos do país.

A conselheira disse que apenas as empresas autorizadas ao transporte regular serão permitidas a operar linhas e vender assentos em um só sentido, ida ou volta individualmente, além de serem as únicas que efetivamente têm os protocolos de prevenção à Covid-19 averiguados pela fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres
(ANTT).

Interligação rodoviária

Outra tendência do turismo no pós-pandemia é a interligação rodoviária de algumas rotas conhecidas para locais de difícil acesso. Como, por exemplo, o acesso à famosa Rota das Emoções, que compreende Fortaleza (CE), Jericoacoara (CE), Delta do Parnaíba (PI) e Lençóis Maranhenses (MA).

“A nova rota parte do aeroporto de Fortaleza, passando pela rodoviária de Fortaleza e pela Avenida Beira Mar, onde fica a maior parte da rede hoteleira da cidade”, explica Letícia Pineschi, conselheira da ABRATI. A linha contará com sete partidas diárias, em cinco linhas diferentes, cobertas por ônibus executivos.

Além disso, a compra da passagem pode ser feita on-line pelo no site ou aplicativo de vendas da empresa. “A Rota das Emoções poderá ser totalmente percorrida pelo transporte rodoviário regular, com mais qualidade e mais frequência, sem que o turista dependa de formar grupos para locação de fretados”, comemora Letícia.

Últimas notícias