*
 

A Embaixada do Brasil em Bogotá deslocou funcionários a Medellín com o intuito de prestar toda a assistência necessária às vítimas e a seus parentes e dar apoio ao traslado dos corpos ao Brasil, informou em nota o Ministério das Relações Exteriores. Eles serão chefiados pelo embaixador Julio Bitelli.

De acordo com o órgão, funcionários do Itamaraty em Brasília também viajarão a Medellín para reforçar a equipe de apoio.

Oitenta e uma pessoas estavam a bordo e mais de 70 morreram, segundo as autoridades colombianas. A equipe do Chapecoense viajava para Medellín, onde disputaria a primeira final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, amanhã (30) à noite. O segundo jogo seria em Curitiba.

Em comunicado, o aeroporto de Medellín diz que o avião, com matrícula da Bolívia, “declarou emergência” às 22h, no horário local, “por falhas técnicas”, de acordo com a transmissão feita para a torre de controle. O avião tinha saído do Aeroporto Viru Viru, de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde realizou uma escala técnica.

Pesar

Na nota, o Itamaraty manifesta “seu profundo pesar pelo trágico acidente aéreo ocorrido na Colômbia, que vitimou jogadores, comissão técnica e dirigentes da Associação Chapecoense de Futebol, bem como jornalistas e tripulantes que acompanhavam a delegação”.

O órgão diz ainda que se soma às expressões de pesar aos parentes das vítimas e à população de Chapecó e faz votos de pronto restabelecimento aos sobreviventes.

O Núcleo de Assistência a Brasileiros do Ministério das Relações Exteriores está disponível para prestar informações e esclarecimentos sobre o acidente nos números (61) 2030-8803 e (61) 2030-8804, e pelo e-mail dac@itamaraty.gov.br.

 

 

COMENTE

ColômbiaChapecoenseCopa Sulamericana
comunicar erro à redação

Leia mais: Transporte