Suspeita de dopar crianças, servidora de creche é exonerada

Decisão publicada no Diário Oficial de Votuporanga (SP) assinala que ficou "comprovado o cometimento de falta funcional de natureza grave"

atualizado 15/10/2019 18:08

ANNIE SPRATT, UNSPLASH

A prefeitura de Votuporanga (SP) exonerou uma servidora que trabalhava na creche Valter Peresi após mães denunciarem que crianças estariam sendo dopadas com tranquilizantes. A informação é do G1.

A exoneração foi publicada no Diário Oficial do município nesta terça-feira (15/10/2019).

A prefeitura explica que a decisão foi tomada “considerando que através de toda prova produzida, notadamente as oitivas das testemunhas, depoimento pessoal da processada e a documentação acostada ao processo, restou comprovado o cometimento de falta funcional de natureza grave”.

Clonazepam
O caso, que ainda está sendo investigado criminalmente pela Polícia Civil e pelo Ministério Público, começou por meio de denúncias das próprias mães que procuraram a polícia.

Uma delas, Keli Nascimento Antoniolo foi ao hospital depois de seu filho, de apenas 11 meses, sair desacordado da creche.

A criança foi submetida a exames toxicológicos, que identificaram a presença do medicamento clonazepam, um tranquilizante, no organismo dele.

Depois do episódio, outras mães foram até a Delegacia da Defesa da Mulher (DDM) para registrar queixa contra a creche. Elas relataram terem percebido sintomas parecidos em seus filhos.

Com as denúncias, foi aberto um inquérito para apurar o caso.

Em nota, a Secretaria Municipal da Educação informou que segue realizando trabalhos de acompanhamento na unidade de ensino, além de adotar medidas de aproximação com a comunidade escolar para esclarecer eventuais dúvidas.

Últimas notícias