Suposta propina de vacinas: militar abre empresa na véspera de reunião

Como investigado pelo Metrópoles, a empresa Valorem Consultoria em Gestão Empresarial LTA, foi aberta no dia 22/02/2021

atualizado 30/06/2021 16:18

Linkedin

O coronel da reserva Marcelo Blanco da Costa, presente no jantar em que um representante do Ministério da Saúde teria pedido propina a um vendedor de vacinas, foi apontado por abrir, dias antes do encontro, uma empresa de representação comercial de medicamentos. A informação foi confirmada pelo Metrópoles no site da Receita Federal. 

O empresário Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply, afirmou à Folha que o coronel da reserva estava no encontro no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, em 25 de fevereiro. Blanco foi assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde.

A reportagem do Metrópoles apurou que a empresa Valorem Consultoria em Gestão Empresarial LTA foi aberta no dia 22/02/2021, em Brasília. Ou seja, 3 dias antes da reunião relatada por Dominguetti.

Entre as atividades econômicas da companhia listadas na Receita estão as de representantes comerciais e agentes do comércio de medicamentos, cosméticos e produtos de perfumaria e também de instrumentos e materiais odonto-médico-hospitalares.

A empresa também tem dentre outras atividades declaradas,  os serviços combinados de escritório e apoio administrativo, atividades de consultoria em gestão empresarial e atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em geral, exceto imobiliários.

Entenda

O representante da empresa de vacinas Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, afirmou que recebeu pedido de propina de US$ 1 por dose em troca de fechar contrato com o Ministério da Saúde. A informação foi revelada à repórter Constança Rezende, do jornal Folha de S. Paulo.

A proposta teria partido do diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, durante um jantar no restaurante Vasto, no Brasília Shopping, região central da capital federal, no dia 25 de fevereiro.

Roberto Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo de Jair Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Sua nomeação ocorreu em 8 de janeiro de 2019, na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM).

CPI

Também nesta quarta-feira (30/6), a CPI da Covid aprovou a convocação do tenente-coronel do Exército Marcelo Blanco, assessor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde na gestão de Roberto Ferreira Dias. A exoneração de Dias saiu no Diário Oficial da União também nesta.

Mais lidas
Últimas notícias