STF autoriza compartilhamento de dados de apreensão contra site bolsonarista

Decisão é do ministro Alexandre de Moraes para juntar a apuração com dados do inquérito de atos considerados antidemocráticos

atualizado 22/11/2020 18:38

Daniel Ferreira/Metrópoles

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou, pela primeira vez, o compartilhamento de informações de uma operação de busca e apreensão contra um site bolsonarista com a investigação sobre o possível esquema de disparos de WhatsApp na campanha de 2018. As informações são da Folha de S.Paulo.

De acordo com o jornal, a decisão é do ministro Alexandre de Moraes para juntar a apuração com dados do inquérito de atos considerados antidemocráticos.

A solicitação foi feita por Denisse Ribeiro, delegada da Polícia Federal (PF) responsável pela busca e apreensão. O argumento foi de que elementos encontrados podem interessar à apuração relacionada à eleição presidencial.

Durante as investigações, os empresários Ernani Neto e Thais Chaves, proprietários de sites tidos como bolsonaristas – como a Folha Política –, foram os alvos da busca, agora compartilhada. Eles chegaram a ter suas contas excluídas pelo Facebook por violação de regras em 2018, quando já coordenavam uma rede a favor do então candidato Jair Bolsonaro (sem partido). A dupla também é investigada por propagação de fake news.

Últimas notícias