Salário de servidor estadual quase dobra em 14 anos, diz estudo

Remuneração de servidores estaduais estatutários cresceu 93% entre 2004 e 2018. Levantamento considerou a inflação do período

Os salários de servidores estaduais quase que dobraram entre 2004 e 2018, revela levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) publicado nesta quinta-feira (23/04).

O aumento real – ou seja, já descontada a inflação – foi de 80% no período, segundo o estudo. A taxa de crescimento é maior ao se analisar somente os servidores estaduais do regime estatutário: 93%.

O levantamento observou o desempenho médio de 24 estados (exceto Roraima e Amapá) e do Distrito Federal. Leia a íntegra do estudo aqui.

Militares e professores da educação básica destacaram-se com aumentos significativamente maiores do que os recebidos pelos demais servidores estatutários.

Segundo a pesquisa, os aumentos não são derivados apenas de reajustes lineares, mas incorporam também promoções e progressões.

“Após a pandemia, o gradualismo perde sentido por conta dos impactos sobre a receita pública e sobre os níveis de renda da população”, afirma Cláudio Hamilton Matos dos Santos, pesquisador do Ipea

Ainda de acordo com o estudo, o crescimento dos salários de servidores estatutários estaduais foi determinante para o elevado aumento dos gastos com servidores estaduais inativos em anos recentes.

Veja o ranking da evolução dos salários elaborado pelo Metrópoles com base em tabela do Ipea:
  • Mato Grosso: 141%
  • Paraná: 129%
  • Mato Grosso do Sul: 127%
  • Pará: 120%
  • Minas Gerais: 119%
  • Santa Catarina: 115%
  • Goiás: 104%
  • Pernambuco: 93%
  • Tocantins: 91%
  • Maranhão: 89%
  • Bahia: 88%
  • Rio Grande do Norte: 86%
  • Distrito Federal: 85%
  • Sergipe: 80%
  • Piauí: 73%
  • Rio Grande do Sul: 66%
  • Paraíba: 62%
  • Alagoas: 56%
  • Acre: 55%
  • Espírito Santo: 51%
  • Rio de Janeiro: 40%
  • Rondônia: 37%
  • São Paulo: 36%
  • Ceará: 35%
  • Amazonas: 21%