Sem prova de vacina, advogado de Flávio Bolsonaro é barrado no STF

O advogado Frederick Wassef não foi autorizado a ingressar nas instalações do STF para acompanhar processo contra o senador

O advogado do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) Frederick Wassef foi barrado na entrada do Supremo Tribunal Federal (STF) por não ter comprovante de vacinação contra a Covid-19. Wassef tentava entrar na Corte para acompanhar ação na qual pedia arquivamento da ação contra o cliente pela possível prática de rachadinhas.

Segundo nota oficial do STF,  o advogado Frederick Wassef “não foi autorizado a ingressar nas instalações do STF na tarde desta terça-feira (30/11) por não apresentar o comprovante de vacinação, exigido a todos que frequentam o tribunal”.

A exigência do cartão de vacinação está prevista no artigo 4º da Resolução 748/2021. “Informado pela segurança de que poderia participar de forma on-line da sessão de julgamento, o advogado foi receptivo às regras”, disse o STF.

Havia entrevista coletiva marcada com o advogado no STF, mas ele acabou acompanhando o caso ao lado do senador pela internet.

Na decisão, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou as provas de movimentação financeira irregular apresentadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) na investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) no caso das rachadinhas.