Segundo maior cemitério de SP fecha temporariamente por falta de vagas

O Cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo, começou a realizar enterros noturnos na última quinta-feira (25/3)

São Paulo – O Cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte da capital, o segundo maior de São Paulo, foi fechado temporariamente por falta de sepulturas para atender à demanda de mortos por Covid-19. A informação partiu de funcionários do serviço funerário da cidade e de familiares de vítimas da doença que não conseguiram enterrar seus parentes no local.

Ao Metrópoles, uma fonte confirmou a afirmação e disse que o serviço funerário da cidade “está uma loucura” nos últimos dias, em especial pelo aumento de mortos.

A necrópole realizará apenas exumações de cadáveres com mais de três anos para conseguir liberar novas sepulturas. Com isso, será possível fazer enterros novamente. Os relatos apontam que a medida entrará em vigor já nesta quarta-feira (31/3).

Entretanto, uma fonte informou que mesmo assim não conseguiu enterrar um familiar. Os corpos estão sendo encaminhados para os cemitérios de Perus e Chora Menino.

Sindicato confirma

O Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep) confirmou que o cemitério suspendeu os sepultamentos e que será necessário fazer a exumação de corpos. ” situação ocorre após o Cemitério da Nova Cochoeirinha ter sido incluído no contrato de aluguel de equipamentos para sepultamentos noturnos na cidade”, informou, em nota enviada à reportagem.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de São Paulo, que negou a afirmação. “O equipamento continua funcionando para sepultamentos dos munícipes que possuem túmulos – concessão – e para enterros de crianças” (veja a íntegra abaixo).

Desde a última quinta (25/3), os cemitérios da Vila Formosa, Vila Alpina, São Luiz e Vila Nova Cachoeirinha têm feito sepultamentos noturnos. Os enterros, que antes eram realizados das 7h às 18h, agora ocorrem das 7h às 22h.

Além disso, a prefeitura contratou 50 vans escolares para colaborarem no transporte de mortos por Covid-19. Somente na cidade de São Paulo, 21.837 pessoas perderam a vida para o coronavírus até a tarde desta terça (30/3).

Leia o comunicado da prefeitura na íntegra:

“A Prefeitura, por meio da Secretaria das Subprefeituras e do Serviço Funerário, informa que o Cemitério Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte, não foi e não será fechado, ao contrário do informa matéria do G1. O equipamento continua funcionando para sepultamentos dos munícipes que possuem túmulos – concessão – e para enterros de crianças.

A medida consta do Plano de Contingenciamento Funerário, apresentado publicamente em 2020, e foi definido com base em critérios logísticos com base no número de óbitos ocorridos em 24 horas na cidade, que enfrenta pandemia e está em fase de emergência, conforme determina o Plano São Paulo do governo do Estado.

A informação de que o cemitério fará apenas exumação para abertura de novas vagas é improcedente, pois trata-se de um procedimento necessário, que é feito de forma regular de acordo com critérios previstos na legislação em vigor”

1/10
Novas covas abertas no Cemitério da Vila Formosa, zona leste de São Paulo
A necrópole é a maior da América Latina, com quase 700 mil m²
A nova área foi cavada na Quadra 70, para receber corpos de Covid-19
Grupo de pessoas acompanha enterro, em Vila Formosa
Cerca de 30 corpos de vítimas de Covid-19 são enterrados todos os dias no cemitério da Vila Formosa, zona leste de São Paulo
Poucas flores adornam longo terreno de terra cavada
O Cemitério da Vila Formosa chama a atenção pelo tamanho e pela área verde
À tarde, uma dezena de carros chegou ao Vila Formosa para acompanhar enterros
A cidade de São Paulo tem quase 20 mil mortos pelo novo coronavírus
O Vila Formosa possui duas necrópoles