*
 

Uma conversa informal entre dois colegas da Polícia Militar de São Paulo, em Itanhaém (SP), se tornou um emocionante reencontro após hiato de 19 anos. A sargento Vanusa Pereira, 47, batia papo com o soldado Lucio Lima Fernandes Kruger, 22, quando descobriu que, em 1999, havia salvado a vida dele após um acidente no município paulista de Presidente Venceslau.

Kruger tinha 4 anos quando esbarrou em uma prateleira durante brincadeira com objetos de marcenaria do avô. Em seguida, o móvel caiu sobre ele e o deixou gravemente ferido. Os momentos de luta pela sobrevivência jamais saíram da memória do rapaz.

“Foi aquele nervosismo muito grande, porque tinha machucado o meu rosto e tinha muito sangue. Minha mãe gritava desesperada”, relembrou Kruger, em entrevista ao R7. A PM chegou ao local do acidente para atender a ocorrência. Diante daquela cena, a policial optou por não esperar o resgate do Corpo de Bombeiros e prestou os primeiros socorros.

Na sequência, Kruger foi encaminhado a um hospital, onde ficou internado por um mês e meio depois de passar por cirurgia no rosto: levou 23 pontos. À época, ele também perdeu sete dentes – quatro de cima e três de baixo – e fez fisioterapia.

Desde então, o rapaz cresceu ouvindo a própria história. “Se a policial não tivesse me socorrido naquele momento, eu teria morrido”, conta. Isso o motivou a iniciar carreira na PM. “Passei a ter admiração muito grande pela corporação e queria fazer por alguém o que eles fizeram por mim”, diz.

O reencontro
O soldado integra, desde 2014, o 19° Batalhão da PM de São Paulo. Recentemente, retornou a Itanhaém, sua cidade natal, para compor equipe de reforço na Operação Verão. Em uma roda de conversa com outros policiais, contou de onde era e de qual batalhão fazia parte, assim como os outros. Horas depois, Vanusa o indagou se ele era o menino ferido na queda de uma prateleira há quase duas décadas.

“Foram fatos que chamaram minha atenção, até porque ele tem uma cicatriz no rosto, e eu lembro que a criança tinha ficado com uma marca”, recorda. A revelação ocorreu no fim de dezembro, segundo Vanusa. “Nós choramos naquele momento, porque foi um encontro muito feliz. Foi de arrepiar, na verdade. Foi uma emoção grande”, afirmou Vanusa.

Kruger, por sua vez, reforça que Vanusa salvou a vida dele: “Sou muito grato a ela. Tenho certeza de que faria a mesma coisa por ela e por qualquer um.”

 

 

COMENTE

polícia militarSão Pauloreencontro
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil