São Paulo terá Corujão da Saúde para consultas e exames oftalmológicos

A meta do governo do estado é realizar 51 mil procedimentos, entre exames, consultas e cirurgias, para zerar a fila nessa área

atualizado 20/10/2021 14:38

O secretário de Saúde do estado de São Paulo, Jean GorinchteynFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (20/10) uma nova fase do Corujão da Saúde, com o objetivo de zerar a fila de exames, consultas e cirurgias oftalmológicas no estado de São Paulo.

O secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, explicou que, com a diminuição dos casos e internações por Covid-19, o estado tem “a obrigação de acolher outras doenças que foram mantidas de lado”.

A meta do governo é realizar 51 mil procedimentos, entre exames, consultas e cirurgias. O governo pretende zerar a fila da oftalmologia dos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs).

Serão 11.794 consultas, 23.112 exames (que incluem mapeamento de retina, ultrassom de globo ocular, biometria ultrassônica, entre outros) e 16.077 cirurgias de catarata e retina. Esta fase do Corujão da Saúde vai custar R$ 46 milhões.

 

Novo profissionais de saúde

A primeira fase do Corujão da Saúde teve início em 1º de outubro, focado em exames e consultas oncológicas – que vai continuar de forma concomitante com os procedimentos oftalmológicos.

De acordo com Gorinchteyn, desde 1º de outubro, já foram realizados 16.800 exames oncológicos no corujão – de 335 mil exames que estavam represados. 

Além disso, o governo anunciou a contratação de mil novos profissionais médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para a rede pública estadual de saúde.

Mais lidas
Últimas notícias