Saiba quem pode se vacinar nesta quarta (12/1) em SP, RJ, MG e PE

No total, o Brasil já perdeu 620.238 vidas para a doença e computou 22.629.460 casos de contaminação

atualizado 11/01/2022 23:04

Vacinacao de Gravidas e Pessoas com Comorbidades no Parque da CidadeGustavo Alcantara / Metrópoles

Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 70.765 casos confirmados para a Covid. O número é o maior desde 18 de setembro do ano passado, quando foram notificados 150.106 infectados.

A média de casos está em 43.660 novos infectados ao dia, a maior desde julho de 2021, um aumento de 767% em comparação há 14 dias.

No total, o Brasil já perdeu 620.238 vidas para a doença e computou 22.629.460 casos de contaminação.

Os números mostram que a vacinação não pode parar. Confira como será o esquema de inunização em algumas capitais nesta quarta-feira (12/1):

Em São Paulo, capital, segue a imunização:

Pessoas que receberam a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 em outro país poderão ser imunizadas como uma vacina de outro fabricante, de acordo com o esquema:

– Plataforma RNA Mensageiro – Moderna – completar com Pfizer – 28 dias após a 1ª dose.
– Plataforma recombinante (vetor viral) – Sputnik – completar com AstraZeneca – 21 dias após a 1ª dose.
– Plataforma vírus inativado – Sinopharm – completar com Coronavac – 21 dias após a 1ª dose.

Deve ser apresentado o documento de identificação e comprovante (físico ou digital) da vacina recebida anteriormente.

Dose adicional:

– Pessoas com mais de 18 anos que tomaram a última dose do esquema vacinal (segunda dose) há pelo menos 4 meses – a partir de 2 de dezembro.

– Pessoas com mais de 18 anos que tomaram a vacina da Janssen há pelo menos 2 meses da 1ª dose serão vacinadas com a Pfizer. Mulheres que tomaram Janssen previamente e atualmente estão gestantes ou puérperas deverão ser imunizadas exclusivamente com imunizante da Pfizer.

– Pessoas com alto grau de imunossupressão com mais de 18 anos que tomaram a última dose do esquema vacinal (segunda dose) há pelo menos 28 dias já podem ser vacinadas.

1ª dose:

– Adolescentes de 12 a 17 anos de idade.
– Adultos com mais de 18 anos.

2ª dose:

– Butantan (Coronavac): 15 dias após 1ª dose.
– AstraZeneca: 8 semanas (56 dias) após 1ª dose (excepcionalmente sendo feitas com o imunizante Pfizer, na ausência da AstraZeneca).
– Pfizer: 21 dias após 1ª dose.
– Janssen: de 2 a 6 meses após 1ª dose.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro pessoas com 18 anos ou mais que tomaram a segunda dose há 4 meses ou mais devem ir aos postos de vacinação para a dose de reforço.

Minas Gerais

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte, haverá dose de reforço para pessoas de 28 e 27 anos que receberam Coronavac, cuja data da segunda dose tenha completado 4 meses

Pernambuco

De acordo com a Prefeitura do Recife, a vacinação na cidade obedece ao seguinte esquema:

Pessoas com 12 anos ou mais, residentes no Recife.

Documentação necessária:

Caso tenha entre 12 e 22 anos: comprovante de residência em nome próprio ou dos pais, além de documento oficial de identidade ou certidão de nascimento;

Caso tenha mais de 23 anos: comprovante de residência em nome próprio e documento oficial de identidade ou certidão de nascimento. Levar cópias dos originais no dia da vacinação.

Dose de reforço para pessoas com 18 anos ou mais.

Pessoas com 18 anos e mais, residentes no Recife, e que completaram o esquema vacinal há pelo menos 4 meses poderão receber a dose adicional antiCovid.

Conforme orientação do Ministério da Saúde, a dose de reforço será feita, preferencialmente, com o imunizante da Pfizer, ou ainda de forma alternativa com Janssen ou AstraZeneca, independentemente da vacina aplicada na primeira e segunda doses.

O reforço da Janssen pode ser feito, a partir de agora, depois de 2 meses após receber o esquema primário de vacinação com uma dose. Esta dose de reforço, na ausência de Janssen poderá ser com Pfizer.

Conforme orientação do Ministério da Saúde, a dose de reforço será feita, preferencialmente, com o imunizante da Pfizer, independentemente da vacina aplicada na primeira e segunda doses.

Mais lidas
Últimas notícias