*
 

A governadora de Roraima, Suely Campos (PP), protocolou, nesta sexta-feira (13/4), ação civil no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedido para que a fronteira entre o Brasil e a Venezuela seja fechada por prazo determinado, impedindo a entrada de imigrantes no estado. A relatoria da ação é da ministra Rosa Weber.

Assinado por Suely, o processo aponta que a “crise econômica, política e social da República Bolivariana da Venezuela ensejou uma verdadeira explosão no fluxo migratório” e que o estado está suportando os custos e prejuízos sem ajuda efetiva da União.

Entre as consequências da crise, o documento aponta aumento de criminalidade, elevação quantitativa de atendimento nas unidades de saúde do estado e incremento de matrículas para o ensino público.

Além de pedir mais recursos e fechamento provisório da fronteira, Roraima solicita que a União atue de “maneira imediata na região fronteiriça”, com medidas administrativas na área de controle policial, saúde e vigilância sanitária.

“Nada de efetivo foi implementado até o momento mesmo após a MP, a não ser a transferência de apenas 266 venezuelanos para os estados de São Paulo e do Mato Grosso. Um fator ínfimo, considerando os mais de 50 mil que, muitos deles, perambulam pelas praças da capital [de Roraima] Boa Vista”, disse Suely.

A governadora de Roraima quer controle efetivo até que se resolvam os problemas decorrentes dos milhares de migrantes que estão no estado.

 

 

COMENTE

RefugiadosvenezuelaimigrantesRoraimacrise em Boa Vistafluxo migratório
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil