Rolou na 5ª: PF prende secretário de Doria; ministro nega fazer dossiês

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) atualiza: com mais 1.205 mortes, Brasil chega a 98.493 falecimentos por Covid-19

atualizado 06/08/2020 22:43

Rolou nesta quinta-feira (6/8): a Polícia Federal (PF) realizou, em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), a Operação Dardanários, um desdobramento da Lava Jato, para desarticular organização de empresários e agentes públicos que tinham por finalidade contratações dirigidas, especialmente na área da saúde.

Três pessoas foram presas, entre elas Alexandre Baldy, secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, e o pesquisador da Fiocruz Guilherme Franco Netto.

Preso temporariamente, Baldy pediu licença do governo João Doria e se afastará por 30 dias a partir desta sexta-feira (7/8) para “se concentrar exclusivamente na sua defesa”.

Ministério da Justiça e Segurança Pública informou nesta quinta-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) não investigar opositores do governo, mas disse que não pode compartilhar informações de inteligência produzidas pela sua Secretaria de Operações Integradas (Seopi). Segundo a pasta, “não seria menos catastrófico abrir-se o acesso ao Poder Judiciário a relatórios de inteligência”.

A manifestação, aprovada pelo ministro da Justiça, André Mendonça, foi endereçada à ministra Cármen Lúcia, do STF, que cobrou esclarecimentos sobre o monitoramento de servidores públicos antifascistas.

Também foi notícia:

Últimas notícias