Reitor da UFRGS e mais 3 da cúpula da universidade estão com Covid-19

Informação foi compartilhada em grupos de professores da instituição nesta sexta-feira (5/3). Pró-reitor, um dos infectados, confirmou

atualizado 05/03/2021 19:34

UFRGS/Divulgação

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Carlos André Bulhões (imagem em destaque), e outros três membros da reitoria foram diagnosticados com Covid-19. A notícia foi compartilhada em grupos de professores e funcionários da instituição nesta sexta-feira (5/3) e confirmada ao Metrópoles pelo pró-reitor Geraldo Pereira Jotz, um dos infectados.

Os outros dois professores que foram diagnosticados com a doença são o vice-pró-reitor da UFRGS, Eduardo Cardoso, e o chefe de gabinete do reitor, Paulo Eduardo Mayorga Borges. Por sua vez, Geraldo Jotz contou que somente ele foi internado por causa da doença.

“Cheguei de Brasília em 11 de janeiro. No dia 14, comecei a sentir sintomas da doença e fui internado. Estou melhor, recebi alta hoje. Fiquei 10 dias internado”, conta Jotz, ao relatar ter ficado com 50% do pulmão comprometido em decorrência da doença. “A universidade está tocando o trabalho normal”, ponderou o docente.

Segundo representantes da Associação de Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Adufrgs-Sindical), uma reunião do conselho universitário estava prevista para esta sexta-feira. Esperava-se a presença do reitor no evento, mas os demais docentes foram informados de que ele não compareceu devido à doença.

A desconfiança de que Bulhões pudesse estar doente começou no início do ano, quando professores pararam de receber materiais com a assinatura do reitor. Docentes afirmam que os documentos têm sido assinados pela vice-reitora, Patrícia Pranke. Segundo as mensagens que circulam nas redes sociais, o reitor estaria com uma pneumonia, motivada pelo coronavírus.

Geraldo Pereira Jotz ponderou, no entanto, que Bulhões  esteve de férias no início do ano.

Nomeação

Carlos Bulhões foi nomeado à reitoria da UFRGS em setembro de 2020 e vai gerir a universidade até 2024. A nomeação foi feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após a votação do conselho universitário.

Bulhões e a vice, Patrícia Pranke, foram os terceiros colocados na lista tríplice, com apenas 3 de 77 votos. No entanto, Bolsonaro decidiu nomeá-los mesmo assim, quebrando uma tradição: durante a última década, todos os presidentes nomearam os primeiros colocados da lista ao cargo de reitor da federal gaúcha.

Últimas notícias