Presidente do TRE do Amazonas, Aristóteles Thury morre de Covid-19

Desembargador estava internado em um hospital de São Paulo desde o dia 3 de janeiro, após ser transferido de Manaus

Morreu, na tarde deste domingo (14/2), o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador Aristóteles Lima Thury, de 71 anos, em decorrência de complicações da Covid-19.

O magistrado estava internado no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo (SP), onde fazia tratamento contra a doença do novo coronavírus, mas não resistiu.

Ele estava internado no hospital paulista desde o dia 3 de janeiro, quando foi transferido de Manaus, após ter o quadro de saúde agravado pela Covid-19.

Em nota, o governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus (AM) se manifestaram em recordação ao desembargador.

“O overno do Amazonas reconhece a contribuição de Aristósteles Thury para a magistratura do estado e presta suas condolências aos familiares e amigos”, ressaltou o Executivo estadual, liderado pelo governador Wilson Lima (PSC).

Por sua vez, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), decretou luto de três dias, em razão da morte de Thury.

“Estou em oração pela família e amigos do desembargador Thury, que infelizmente foi vencido por este vírus tão cruel, que há mais de um ano vem ceifando as vidas de várias pessoas pelo mundo. Que nosso Pai celestial o receba em luz, na sua eterna morada”, declarou o prefeito.

Biografia

Com 40 anos de magistratura, dos quais 11 anos exercidos em comarcas do interior do estado, Thury foi eleito presidente do TRE-AM em março do ano passado, para o biênio 2020/2022.

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas em 1976, tomou posse como juiz de Direito em 1980, passando por diversas comarcas do interior. Em 1991 foi promovido a juiz da capital.

Em 2002 foi admitido membro da corte do Tribunal Regional Eleitoral como Juiz de Direito da classe dos magistrados, onde permaneceu por quatro anos. Em 2008, foi eleito, pelo critério de merecimento, desembargador do TJ-AM.

Já em 2010, foi designado membro da corte do TRE-AM, como substituto da classe dos magistrados, onde permaneceu por quatro anos. No biênio 2018/2020, foi vice-presidente e corregedor do Tribunal Eleitoral.
Ao longo de sua carreira de magistrado, também lecionou as disciplinas de Direito Penal e Processual Penal em faculdades do Amazonas.