Prefeitura de São Paulo adota home office permanente para servidores

As escalas de servidores que aderirem ao teletrabalho deverão ter entre um e três dias com trabalho presencial por semana

atualizado 15/09/2020 18:06

Foto: Reprodução/ Andre Borges/Esp. Metrópoles

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou um decreto que institui permanentemente o regime de teletrabalho (home office) para mais de 120 mil servidores nos órgãos da administração direta, autarquias e fundações do município. O decreto foi publicado nesta terça-feira (15/9), no Diário Oficial. 

A norma reforçou que as escalas de servidores que aderirem ao home office deverão ter entre um e três dias com trabalho presencial na semana. O teletrabalho havia sido implementado em decorrência da pandemia do coronavírus.

Além do novo contexto, a prefeitura alegou que o home office nos últimos meses trouxe aumento de produtividade e melhoria na prestação de serviços, assim como redução de despesas. Outro fator citado é a diminuição na necessidade de deslocamento diário dos servidores, o que foi classificado como “ganho ambiental para a cidade”.

“Fica vedado o estabelecimento de dia da semana fixo para comparecimento presencial dos servidores ou empregados públicos, sendo necessária a alternância dos dias da semana que compõem a escala de trabalho, garantindo, assim, com essa alternância, maior efetividade na integração e troca de informações necessárias entre os membros das equipes”, diz o decreto.

Metas

A gestão paulistana pressupõe a fixação de metas para a realização dos trabalhos, além da mensuração do desempenho, registro eletrônico de assiduidade e comparecimento periódico à unidade de trabalho.

O servidor também deverá estar apto para comparecer presencialmente no local de trabalho, no dia e horário fixados pela chefia, desde que avisado com, no mínimo, quatro horas de antecedência.

0

Últimas notícias