*
 

Um dos prédios da Cidade Administrativa, a sede do governo de Minas Gerais, será fechado para contenção de despesas. Conforme cálculos oficiais, os gastos com o edifício, onde funcionava o gabinete do governador Fernando Pimentel (PT), é de cerca de R$ 5 milhões por ano.

Além do local de trabalho do chefe do Poder Executivo do Estado, o edifício que será fechado, chamado Tiradentes, abriga ainda as secretarias de Governo, Casa Civil e Relações Institucionais. A mudança envolve aproximadamente 150 servidores e foi anunciada na noite de sexta-feira (2/2).

A Cidade Administrativa foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurada em 2010 durante o governo do hoje senador Aécio Neves (PSDB). O conjunto fica na região Norte da cidade e custou R$ 1,2 bilhão.

O anúncio do fechamento do prédio provocou reação dos tucanos. Em nota, o PSDB de Minas Gerais afirmou que “a centralização da estrutura governamental do Estado foi apontada pelo Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado como um dos fatores necessários para dar maior eficiência e qualidade aos serviços públicos prestados”.

Segundo o governo de Minas, a mudança dos funcionários do Tiradentes será concluída nos próximos dias. Os servidores serão transferidos para outros prédios da Cidade Administrativa, que têm, conforme o governo, 1.428 pontos de trabalho que não estão sendo utilizados.

Sem o Tiradentes, Fernando Pimentel seguirá despachando no Palácio da Liberdade, antiga sede do governo, onde o petista já vinha cumprindo agenda.

 

 

COMENTE

Minas GeraisPalácio Tiradentescontenção de despesas
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil