“Zero pedágio”: Bolsonaro confirma motociatas em Floripa e Chapecó

No mês passado, presidente já havia anunciado que motociclistas não iriam mais pagar pedágio em rodovias concedidas à iniciativa privada

atualizado 16/06/2021 20:17

Bolsonaro cumprimenta apoiadores durante "motociata" em São Paulo"Rodrigo Zaim/Especial Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou nesta quarta-feira (16/6) mais duas “motociatas”, passeios de moto ao lado de apoiadores, em Florianópolis e Chapecó, municípios de Santa Catarina (SC).

Em Chapecó, o evento será realizado em 26 de junho. Com 637 mortos por Covid-19, a cidade tem 95% de seus leitos de UTI da rede pública ocupados. O circuito de Florianópolis será realizado em 14 de agosto, segundo o presidente.

Durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, o chefe do Executivo federal voltou a anunciar que os motociclistas não irão mais pagar pedágio nas rodovias que vierem a ser concedidas à iniciativa privada. A conversa foi transmitida por um canal simpatizante ao governo.

“Pedágio – o que está acertado, consolidado – novas concessões, zero pedágio para o motociclista. E o Tarcísio [de Freitas, ministro da Infraestrutura] está buscando negociação com as atuais concessionárias que têm em vigor o contrato, para que a gente zere também”, prometeu Bolsonaro.

“Cada R$ 10 arrecadado de pedágio, um centavo vem de motocicleta. Então não é nada”, prosseguiu.

Motociatas

Até o momento, Bolsonaro realizou três motociatas pelo país. A primeira, em homenagem ao Dia das Mães, foi realizada em Brasília, em 8 de maio. A ocasião reuniu algumas dezenas de apoiadores.

As duas seguintes ocorreram no Rio de Janeiro e em São Paulo, em 23 de maio e 12 de junho, respectivamente.

O passeio pela capital paulista foi o maior registrado até o momento. O sistema de monitoramento da Rodovia dos Bandeirantes, um dos trechos por onde passou a motociata em apoio a Jair Bolsonaro, registrou 6.661 veículos no primeiro pedágio dentro da área bloqueada para o ato. Em outro trecho, no percurso de retorno, o pedágio de Caieiras, no km 36 da rodovia, houve o registro de 6.216 passagens.

Já o governo paulista estimou que cerca de 12 mil motos tenham participado do ato, com base em mapas e georreferenciamento, a partir de imagens registradas pelo helicóptero da Polícia Militar do estado.

O órgão que faz a contagem, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), ressaltou que o número pode ser maior, uma vez que o sistema não é programado para coletar informações de motocicletas. No entanto, o registro é consideravelmente menor do que o total de 1,3 milhão de motos que os apoiadores do presidente alegaram ter feito parte do ato.

A notícia de que 1.324.523 motocicletas tenham participado da motociata partiu da deputada Bia Kicis (PSL-DF), pelas suas redes sociais. O número, entretanto, supera a frota total de motocicletas da cidade de São Paulo, que conta 1.217.655 unidades, segundo o Ministério da Infraestrutura.

0

Últimas notícias