metropoles.com

Sem fazer isolamento, Bolsonaro diz que teve sintomas de reinfecção

Presidente não informou se fez teste para confirmar diagnóstico, mas afirmou que tomou ivermectina: “No dia seguinte, estava bom, pô”

atualizado

Compartilhar notícia

Alan Santos/PR
Presidente da República Jair Bolsonaro fala com a imprensa
1 de 1 Presidente da República Jair Bolsonaro fala com a imprensa - Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira (6/5) que apresentou, há alguns dias, sintomas de uma possível reinfecção em razão da Covid-19.

Durante transmissão nas redes sociais, Bolsonaro não informou se fez um teste para confirmar o diagnóstico, mas afirmou que tomou um medicamento sem comprovação científica e eficácia contra a doença.

“Eu estava com sintoma há poucos dias, em uma possível reinfecção. Tomei ivermectina e, no dia seguinte, estava bom, pô”, declarou.

Apesar de dizer que apresentou sintomas, o presidente não ficou em isolamento social, como orienta o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Nas últimas semanas, Bolsonaro cumpriu expediente normal e de forma presencial, no Palácio do Planalto.

Em julho do ano passado, o presidente foi infectado pelo vírus. No dia 25 do mesmo mês, anunciou que estava curado. Além de Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão também apresentou diagnóstico positivo para a Covid-19, bem como a primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Dos 22 ministros do governo, 15 foram diagnosticados com Covid-19 desde o ano passado. A lista inclui nomes que não compõem mais o primeiro escalão do governo, como Jorge Oliveira, hoje ex-titular da Secretaria-Geral, Marcelo Álvaro Antônio, hoje ex-chefe do Turismo, e Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde.

Vacinação

Bolsonaro está apto para se vacinar contra a Covid-19 desde 3 de abril, quando o governo do Distrito Federal liberou a imunização para pessoas com 66 anos – idade do presidente.

No ano passado, em diversas ocasiões, o mandatário afirmou que não tomaria a vacina porque já estava imunizado por ter sido infectado. Especialistas afirmam, entretanto, que a imunização é imprescindível para quem já contraiu a doença, pelo risco de reinfecção e disseminação do vírus.

Recentemente, Bolsonaro tem dito que não vê problema algum em se vacinar, mas que caso o faça, será o “último da fila”.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações