Sem Alcolumbre, MDB lançará candidato à eleição do Senado

Fernando Bezerra Coelho (PE), Eduardo Gomes (TO) e Eduardo Braga (AM) são potenciais nomes para a disputa

Sem a possibilidade de o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ser candidato à reeleição, a bancada do MDB se articula como opção ao presidente Jair Bolsonaro para assumir o comando da Casa. O partido, que possui a maior bancada, quer fazer valer a regra da proporcionalidade. As eleições internas das Casas ocorrem em 1º de fevereiro do próximo ano.

Os nomes especulados são os dos líderes do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (PE), e no Congresso, Eduardo Gomes (TO), além do líder do partido, Eduardo Braga (AM). A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, senadora Simone Tebet (MS), também se movimento para ser opção.

Braga (foto em destaque) afirmou que o partido, como detentor da maior bancada, vai disputar a eleição com um candidato e essa definição passará também pelo presidente Jair Bolsonaro. O emedebista destacou que a ideia inicial era apoiar a reeleição de Alcolumbre. Entretanto, diante da impossibilidade jurídica, era uma opção natural disputar o pleito e que o atual presidente do Senado já estava ciente.

Além do MDB, o Muda Senado, grupo de senadores que pregam mudanças na Casa e defendem bandeiras de combate à corrupção e da Operação Lava Jato, deve endossar um nome. Os senadores Major Olímpio (PSL-SP) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) lançaram candidatura. O grupo ainda não fechou questão.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesse domingo (6/12), que os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado não podem se candidatarem à reeleição em 2021. A decisão embaralhou as peças na disputa eleitoral interna.