Operação Zelotes: Filho de Lula recebeu cerca de R$ 10 milhões

Investigado pela Polícia Federal, Luís Cláudio é suspeito de participar de um esquema de venda de votos para aprovação de medidas provisórias de interesse de grandes empresas

Uma nova descoberta da Operação Zelotes revela que Luís Cláudio Lula da Silva, filho caçula do ex-presidente Lula, e sua empresa, a LFT Marketing Esportivo, teriam recebido bem mais do que os R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, acusada de pagar propina a parlamentares para aprovar medidas provisórias no Congresso Nacional. Após analisar os dados da quebra de sigilo bancário de Luís Cláudio, os investigadores chegaram a um valor de R$ 10 milhões. A informação está publicada na edição desta terça-feira (31/5) no jornal O Estado de S. Paulo.

Deflagrada em março do ano passado pela Polícia Federal, a Operação Zelotes investiga um dos maiores esquemas de sonegação fiscal já descobertos no país. A suspeita é que quadrilhas atuavam junto ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda, revertendo ou anulando multas. A operação também tem como alvo a ação de lobistas envolvendo grandes empresas do país.

A LFT é suspeita de ter recebido repasses da Marcondes & Mautoni, empresa de lobistas que atuaram na aprovação de medida provisória que prorrogou a isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a indústria automobilística.

A quebra dos sigilos de Luís Cláudio e da empresa dele abrange o período de 2009 a 2015. A LFT foi constituída em 2011. Uma das linhas da investigação é saber se Lula indicou empresas para contratar a firma do filho. Os investigadores querem saber qual trabalho foi prestado para resultar no recebimento dos demais valores, que excederam os R$ 2,5 milhões.

Segundo a reportagem, a empresa de Luís Cláudio não tem funcionários registrados, apesar dos valores milionários que recebeu, nem ele expertise em consultoria. O trabalho para a Mautoni foi copiado da internet.

Além das suspeitas sobre compra de medidas provisórias editadas por Lula e Dilma, a Zelotes investiga suposta propina na compra dos caças Gripen, da fabricante sueca Saab, pelo governo Dilma. Procurada, a assessoria de Luís Cláudio alegou que não localizou os advogados e que teve pouco tempo para comentar o assunto. (Com informações dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo)