Na CPI, senadores usam passagens bíblicas para contrapor Wizard

O empresário citou, ao menos, três citações da Bíblia para justificar suas ações e depois se silenciou durante o depoimento

Diante das citações bíblicas do empresário Carlos Wizard para justificar suas ações e, posteriormente, recusa a responder as perguntas em depoimento na CPI da Covid, os senadores usaram a estratégia de fazer citações bíblicas para se contrapor e criticar o depoente.

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) destacou que o empresário ficaria em silêncio, mas que estava claro o interesse dele em relação às vacinas. Assim, usou passagens bíblicas para contrapor Wizard.

“O senhor [Wizard] fala de Jesus Cristo, e a essência de Jesus Cristo é o amor aos pobres e aos excluídos. Inclusive, quando um homem muito rico chegou para ele, com as posses que o senhor tem, perguntou o que deveria fazer para segui-lo, ele disse: ‘Vai lá, entrega teus bens aos pobres e siga-me’. Jesus não é contra quem tem recursos financeiros, mas é contra a concentração [de renda], a falta de olhar, de solidariedade”, declarou ela.

“Se você está diante da pandemia e tem acesso à vacina, dê acesso aos excluídos, aos mais pobres, que precisam. No Brasil, temos o SUS, que estabelece exatamente isso: a saúde plena e universal à população brasileira e dentro do SUS temos o Programa Nacional de Imunização (PNI)”, continuou a senadora.

Assim, para ela, seria necessário também distribuir vacinas aos pobres e excluídos. “Exatamente como Jesus orientava. Mas as informações que temos é que o senhor estava interessado no setor empresarial. Ou seja, totalmente contrário ao que o senhor iniciou falando agora”, acrescentou.

Junto ao empresário Luciano Hang, Wizard articulou para que as empresas pudessem comprar vacinas. O Congresso Nacional aprovou a medida, sob a condição de que deveria ser doado ao Sistema Único de Saúde (SUS). Eles, todavia, articularam um outro projeto, sem essa cláusula.

“O perverso, por sua falsidade ,cairá”, disse o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), citando o Provérbios, 11.

Já o senador Humberto Costa (PT-PE) abriu seu tempo de perguntas com o trecho de Atos dos Apóstolos: “’Quanto a nós, não podemos nos calar sobre o que vimos e ouvimos’, e é essa nossa missão aqui [na CPI]”, declarou o petista.

1/5
Empresário Carlos Wizard na CPI da Covid
Carlos Wizard na CPI da Covid
Empresário Carlos Wizard na CPI da Covid
Empresário Carlos Wizard na CPI da Covid
Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz

Durante a apresentação inicial, Wizard citou ao menos três passagens bíblicas.

“Primeira passagem se encontra em Josué 24:15: ‘Eu, em minha casa, serviremos ao Senhor’. Passagem nº 2, do Novo Testamento, Romanos 1:16: ‘Eu não me envergonho do Evangelho de Jesus Cristo, pois Ele é o poder para a salvação, para todo aquele que nele crê, tanto do judeu como do grego'”, disse o empresário, ao falar como conheceu o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

Posteriormente, Wizard citou também Mateus: “Eu tive fome, e me deste de comer; eu tive sede, e me deste de beber; eu estava nu, e vestiste-me; eu estava enfermo, e foste me ver; eu estava na prisão, e me visitaste; eu estava estrangeiro, e me acolheste”.

Os senadores querem saber sobre a participação do empresário no “ministério paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia da Covid-19 e sobre as negociações de aquisição de vacinas.