Mulher de Eduardo Bolsonaro se retrata sobre movimento sobre antivacina

A nora do presidente Bolsonaro havia afirmado em rede social que o movimento antivacina “só pode ser coisa de retardado”

atualizado 25/11/2020 14:10

Reprodução/ Instagram

A esposa de Eduardo Bolsonaro (PSL), Heloísa Bolsonaro, voltou atrás na declaração que deu em uma rede social na terça-feira (24/11). A psicóloga afirmou, ao responder um seguidor sobre a vacinação da filha recém-nascida, que desconhecia o movimento antivacina, mas que agora conhecendo “só poderia ser coisa de retardado”.

Em um story no Instagram, Heloísa afirmou: “Errei ao emitir opinião sobre algo que, como disse, não conheço (e detesto opinião à toa). Mas agora, como mãe, eu olho para a minha filha e só penso em protegê-la, de todas as formas. Mas não sei sobre o movimento, seus argumentos. Opinei com base no que já ouvi. Se você possui suas convicções, ignore”.

Veja os posts:

0

Heloísa ainda pediu desculpa aos adeptos do movimento: “E não é coisa de retardado, me desculpem. São apenas pessoas que pensam diferente, ou possuem informações que eu não possuo”. Finalizou retificando o uso do termo “retardado”: “Quando uso retardado não tem nada a ver com pessoas com deficiência intelectual. Aqui o politicamente correto não”.

Últimas notícias