MPRJ espera ouvir ex-assessor de Flávio Bolsonaro nesta sexta-feira

Apontado como autor de "movimentações atípicas", Fabrício Queiroz faltou a um depoimento na quarta, alegando "inesperada crise de saúde"

Reprodução/Facebook

atualizado 21/12/2018 10:30

O ex-policial militar Fabrício Queiroz, que assessorava o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), é esperado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro nesta sexta-feira (21/12) para prestar esclarecimentos sobre uma movimentação financeira atípica em suas contas. O depoimento está marcado para o período da tarde.

Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que chegou ao MP como parte dos materiais da Operação Furna da Onça, aponta uma “movimentação atípica” no valor de R$ 1,2 milhão nas contas do ex-motorista do senador eleito. Entre as transações está um cheque, no valor de R$ 24 mil, nominal à mulher do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), Michelle Bolsonaro.

O depoimento de Queiroz estava previsto para a última quarta-feira (19/12), mas ele não compareceu. Ele apresentou um atestado médico indicando “inesperada crise de saúde”.

O próximo presidente afirmou, ao ser questionado sobre o cheque dado à futura primeira-dama, que se referia ao pagamento de um empréstimo feito ao ex-assessor. Outro filho do presidente eleito, o deputado federal Flávio Bolsonaro (PSL-SP), argumenta que só o depoimento de Queiroz será capaz de esclarecer o caso. Eduardo, por sua vez, disse ter ouvido uma explicação “bastante plausível” sobre as movimentações. Ele, no entanto, não tornou pública a explanação.

 

 

Últimas notícias