Lula confirma apoio a Freixo, Manuela D’Ávila e Marília Arraes

Ex-presidente revelou, após encontro com bancadas do PT na Câmara e no Senado, parte da estratégia do partido nas eleições municipais

Após se reunir com as bancadas petistas da Câmara e do Senado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou que o PT apoiará candidaturas de outros partidos de esquerda no Rio de Janeiro e em Porto Alegre, no primeiro turno.

Na capital fluminense, já está consolidada a aliança em torno do nome do deputado Marcelo Freixo (PSol) e, em Porto Alegre, o partido estará na chapa com a ex-deputada Manuela D’Ávila (PCdoB).

“Rio de Janeiro já tem quase que uma cultura estabelecida no PT que é o apoio ao Freixo. Acho que está quase que consolidado, e é assim que a gente vai tocando o barco”, disse o ex-presidente ao sair do encontro com deputados e senadores do partido em um hotel de Brasília.

“Há uma tendência natural do PT de apoiar a Manuela. Acho que essa é uma questão difícil de gente de fora dar um palpite”, disse o presidente. “A Manuela é uma grande companheira e certamente será uma grande candidata”, disse o ex-presidente.

O apoio às duas candidaturas ocorre mesmo após a estratégia definida pelo partido de lançar o máximo possível de candidatos neste ano para tentar uma guinada, após a derrota na disputa eleitoral de 2018.

“Eu gostaria que o PT tivesse candidato em todas as cidades, porque a disputa eleitoral é um momento de você utilizar rádio e televisão para dizer qual é o legado, desde a primeira prefeitura que a gente elegeu, em 1982, até as coisas boas que se fez no governo federal e que o governo atual está desmontando. Ao mesmo tempo, é uma oportunidade de você, ao vivo, desmentir as mentiras que são contadas todo santo dia pelas redes sociais”, disse o petista.

Recife
Dentro dessa estratégia, Lula também deixou claro seu apoio ao nome da deputada petista Marília Arraes para a prefeitura de Recife, apesar da disputa interna dentro do próprio partido no estado, liderado pelo senador Humberto Costa.

“Eu defendo que ela seja candidata em Recife. É lógico que a decisão final depende da Marília e depende dos diretórios regional e municipal de Recife. Eu só posso demonstrar o que eu tenho preferência. Agora, quando o PT se reunir e tomar uma decisão, o Lula será um soldado a serviço do PT”, disse o ex-presidente.

Em 2018, Lula foi duramente criticado ao interferir para que a neta do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes desistisse da candidatura – que aparecia bem nas pesquisas – ao governo do estado, para evitar que o PSB ficasse ao lado de Ciro Gomes na eleição presidencial.