De flores a barbeadores, licitações do Senado custarão R$ 7,2 mi

Com base nas minutas dos editais, o Metrópoles levantou as despesas. As compras foram reveladas pelo portal nessa terça-feira

atualizado 29/11/2019 11:55

Andre Borges/Esp. Metrópoles

O valor médio de uma rosa branca no mercado é de R$ 3,50. Com a quantia destinada pelo Senado para a licitação de uma empresa que disponibilizará arranjos por um ano, seria possível comprar quase quatro mil unidades. Ao todo, o órgão desembolsará R$ 13,7 mil.

O valor é apenas um dos gastos curiosos de uma série de oito processos licitatórios que se estenderão até 10 de dezembro, como o Metrópoles mostrou nessa terça-feira (26/11/2019).

A compra de gazes, coletes à prova de balas, agulhas, aparelhos de ar-condicionado e até barbeadores custarão aos cofres públicos R$ 7,2 milhões. O mais próximo pregão eletrônico ocorreu nessa quinta-feira (28/11/2019). O Senado irá contratar uma empresa para o fornecimento de 15 aparelhos de ar-condicionado central sob o custo de R$ 326 mil.

ARTE/METRÓPOLES

A contratação mais cara será a de uma agência de viagens (R$ 3 milhões). Em segundo lugar no ranking, está a compra de nove aparelhos de ar-condicionado (R$ 2,7 milhões) para fornecimento e instalação no datacenter da sala-cofre do Prodasen.

A Secretaria de Polícia do Senado pagará mais de R$ 40 mil por coletes à prova de balas. Ao todo, as peças de segurança custarão até R$ 204,3 mil. Serão cinco unidades de tamanhos PP, P, M, G e GG.

Barbeadores
O órgão irá aquirir, ainda, 50 aparelhos de barbear descartáveis para, segundo o Senado, “tricotomia” (retirada dos pelos antes de uma cirurgia). Os critérios para a aquisição do produto são “lâmina dupla em aço inox, com bom corte, sem rebarbas ou sinais de oxidação”.

O produto será comprado junto a itens médico-hospitalares para uso no Serviço Médico de Emergência. O Senado desembolsará R$ 31 mil.

Consta ainda na lista de licitações do Senado a contratação de empresa especializada na prestação de serviços de manutenção preventiva, preditiva e corretiva no grupo de geradores elétricos durante 30 meses sob o custo de R$ 835 mil.

A Rádio Senado será contemplada com o fornecimento de distribuidores de áudio, monitores de áudio e mixers de áudio. O preço estimado, por exemplo, dos 12 distribuidores chega a R$ 47,8 mil. Os cinco monitores de áudio custarão R$ 34,8 mil. Todos os equipamentos sairão a R$ 86,4 mil.

Versão oficial
O Senado confirmou as despesas levantadas pela reportagem, mas fez uma ressalva. Segundo o órgão, os valores são “o máximo” que serão pagos. “A informação quanto ao valor estimado de cada contratação, que é o máximo a ser pago pelo Senado”, destaca, em nota.

O texto completa. “Cabe ressaltar que por se tratar de Pregão Eletrônico, a contratação de fato tende a ser efetivada por um valor menor do que o estimado, justamente pela ocorrência de disputa entre as empresas licitantes”, finaliza.

Últimas notícias