Câmara pede prisão de Danilo Gentili após ele falar em socar deputados

Procuradoria parlamentar entrou com uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal contra o polêmico humorista

A procuradoria parlamentar da Câmara dos Deputados impetrou notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a prisão em flagrante do humorista Danilo Gentili.

Gentili é acusado de proferir grave ameaça ao livre exercício do Legislativo após criticar, no último dia 25 de fevereiro, em uma rede social, a celeridade da chamada PEC da Imunidade, em meio à pandemia de Covid-19.

“Eu só acreditaria que esse país tem jeito se a população entrasse agora na Câmara e socasse todo deputado que está nesse momento discutindo PEC de imunidade parlamentar”, disse.

O humorista tem cerca de 17 milhões de seguidores no Twitter, onde foi feita a postagem. O comentário teria recebido mais de 20 mil curtidas e outras 2 mil replicações até o dia 26, segundo a Casa.

A Câmara dos Deputados ressalta que Gentili, além dos crimes de injúria, poderá se enquadrar na Lei de Segurança Nacional. A Casa relembrou, no pedido, a invasão ao Capitólio dos EUA, em janeiro.

“[A postagem] possui indisfarçável vinculação com o referido episódio, representando nítida incitação da população à subversão da ordem político-institucional e gravíssimo atentado contra a manutenção do Estado Democrático de Direito”.

1/6
Humorista Danilo Gentili
Humorista Danilo Gentili
Humorista Danilo Gentili
Humorista Danilo Gentili
Humorista Danilo Gentili
Humorista Danilo Gentili

“As limitações devem ser imediatamente impostas pelo Poder Judiciário nos termos constitucionais que impedem a qualquer cidadão de propagar ideias criminosas”, prossegue.

O deputado Luis Tibé (Avante-MG) é responsável pela procuradoria. No texto, o órgão destaca o deputado Celso Sabino (PSDB-PA), além de todos os outros deputados, como vítima dos ataques.

Nessa segunda-feira (1º/3), o humorista Danilo Gentili foi às redes sociais para dizer que foi alvo de “justas críticas por alguns deputados” e que sempre defendeu as instituições. “Aliás, minha briga com bolsonaristas foi justamente pelo fato de eu ser contrário aos pedidos criminosos de fechamento do STF e do Congresso”, assinalou o humorista.