Bolsonaro sanciona Orçamento 2020 com fundão eleitoral de R$ 2 bi

Decisão foi anunciada no fim da noite deste sexta-feira no Twitter pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral, Jorge de Oliveira Francisco

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge de Oliveira Francisco, anunciou na noite desta sexta-feira (17/01/2020), em sua conta no Twitter, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou integralmente o Orçamento de 2020 – inclusive o chamado “fundão eleitoral”, que prevê o gasto de R$ 2 bilhões para financiar as campanhas dos candidatos nas eleições municipais de outubro.

O fundo de financiamento público das eleições foi um dos pontos mais polêmicos da discussão orçamentária para este ano. O governo enviou a proposta prevendo R$ 2 bilhões para bancar o pleito. O Congresso chegou a sinalizar que aprovaria um aumento deste valor para R$ 3,8 bilhões. Bolsonaro então começou a rejeitar não só a elevação da soma proposta pelo próprio governo federal como o próprio fundo. Chegou a indicar que vetaria integralmente o trecho do orçamento com o fundão.

A ideia provocou imediata reação dos parlamentares. O presidente começou a alegar que corria risco de sofrer um processo de impeachment para preparar o terreno da sanção do fundo eleitoral, algo repudiado fortemente na redes sociais por internautas identificados com o bolsonarismo.