Bolsonaro participa de celebração católica em santuário no Paraná

Entre orações e versículos, padre fez algumas referências indiretas ao presidente Jair Bolsonaro (PL) que acompanhava a missa em silêncio

atualizado 09/04/2022 13:54

Bolsonaro missaReprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) participou, neste sábado (9/4), de uma missa no Santuário São Miguel Arcanjo, em Bandeirantes, no Paraná. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que é evangélica, também estava presente. A missa foi celebrada pelo padre Rosinei Tonietti, reitor do Santuário.

Durante a missa, Bolsonaro leu um trecho da profecia de Ezequiel, que se refere a restauração e ao povo israelense.

“Farei deles uma nação única no país nos Montes de Israel. E apenas um rei reinará sobre todos eles. Nunca mais formarão duas nações, nem tornarão a dividir-se em dois reinos. Não se mancharão mais com seus ídolos e nunca mais cometerão infâmias ou abominações. Eu os libertareis de todos os pecados que cometeram em sua infidelidade e os purificarei. Eles serão o meu povo e eu serei o seu Deus”, diz trecho recitado por Bolsonaro.

0

O presidente também foi presenteado como uma imagem de São Miguel Arcanjo esculpida em madeira e, segundo Tonietti, teria se comprometido a expô-la no Palácio do Planalto.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, o governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), e o deputado federal Diego Garcia (Republicanos-PR) também acompanharam o presidente. Ratinho também leu um salmo.

Missa

Entre orações e versículos, o padre fez algumas referências indiretas ao presidente Jair Bolsonaro que acompanhava a missa em silêncio, com exceção da leitura do versículo.

“Colocamos no altar do senhor nossos pedidos e intenções para essa celebração. Como colocávamos no início, saudando a todos. Queremos colocar de maneira muito carinhosa nossa Terra de Santa Cruz, o nosso Brasil no altar, todo o nosso povo de Deus, nossas autoridades legitimamente constituídas que governem com justiça e com paz”, declarou Tonietti.

Após Bolsonaro recitar o trecho da profecia, Tonietti comentou os versos lidos pelo presidente.

“Deus que vai recuperar, resgatar, que não quer uma nação dividida, quer um povo só, unido, lutando pela mesma causa, buscando os mesmos objetivos, trabalhando pelo mesmo sonho. A ideia da divisão – continua a leitura – não vem de Deus. Deus quer unir, quer reunir. Farei deles uma nação única, a ideia de divisão de classes, disputas que muitas vezes vão surgindo no nosso meio e vão se tornando comum para nós. As disputas entre nós mesmos cristãos, cristãs, é horrível”, disse.

Em meio às mensagens comuns às missas, o padre sugeriu, sem citar o nome, que Bolsonaro não desanimasse e citou “Deus está acima de todos” – verso usual na igreja, mas também slogan de campanha do mandatário brasileiro.

“Eu, você não devemos desanimar da nossa missão. A missão que Deus no confiou é uma missão sagrada, responsabilidade de ser pai, de ser mãe, de ser cidadão, de ser responsável eleito pelo povo para estar em um cargo público. É uma responsabilidade tão bonita, mas que enfrenta tantos desafios e deve sempre considerar: Deus está comigo, Deus é maior do que tudo, Deus está acima de todos”, afirmou.

Motociata

Antes da missa, alguns apoiadores realizaram uma motociata da cidade de Andirá até o local, cujo percurso é 25 quilômetros. Bolsonaro não participou. Na chegada ao Santuário, o presidente cumprimentou e tirou fotos com os apoiadores.

O mandatário está desde a sexta-feira (7/4) no estado, onde participou da ExpoLondrina – exposição Agropecuária e Industrial em Londrina –, e retorna a Brasília no início da tarde deste sábado.

Mais lidas
Últimas notícias