Bolsonaro faz apelo a banqueiros por consignado do Auxílio Brasil

Durante encontro com executivos da Febraban, presidente afirmou que a medida é uma "garantia" para a população

atualizado 08/08/2022 16:00

Fábio Vieira/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu nesta segunda-feira (8/8) que banqueiros concedam o crédito consignado aos beneficiários do Auxílio Brasil. 

“Faço um apelo para vocês agora. Vai entrar o pessoal do BPC no empréstimo consignado. Isso é garantia. Desconto em folha. Se vocês puderem reduzir o máximo possível. Porque ainda estamos atravessando o final da turbulência”, afirmou durante encontro com executivos da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Bradesco, Itaú, Santander, Nubank e BMG são algumas das instituições que já decidiram não oferecer o crédito. Ao lançar a iniciativa, o governo não estipulou um limite à taxa de juros a ser cobrada. 

Os bancos demonstram preocupação com um possível aumento no endividamento das famílias, que já se encontram em situação de vulnerabilidade.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Entenda

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que permite a contratação de empréstimo consignado por beneficiários de programas de transferência de renda, como o Auxílio Brasil e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

A lei foi criada por meio de uma medida provisória, que recebeu o aval do Congresso Nacional. Pelo texto, as famílias que recebem os benefícios poderão autorizar que a União desconte dos repasses mensais dos programas os valores referentes aos empréstimos. 

A partir deste mês até dezembro deste ano, o Auxílio Brasil passará de R$ 400 para R$ 600. 

Mais lidas
Últimas notícias