Bolsonaro diz que fará desfile militar no Rio em 7 de Setembro

O presidente afirmou que irá "inovar" neste ano e participará da comemoração em Copacabana, ao lado das Forças Armadas

atualizado 30/07/2022 15:39

Fábio Vieira/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que irá “inovar” o tradicional desfile cívico de 7 de Setembro – data em que é celebrada a Independência do Brasil.

A ideia, segundo o atual titular do Palácio do Planalto, é participar das comemorações em Brasília, pela manhã, e à tarde seguir para o Rio de Janeiro.

“Nós queremos, pela primeira vez, inovar no Rio de Janeiro. Sei que vocês queriam aqui (em São Paulo), mas vamos inovar. Às 16h, nossas Forças Armadas estarão desfilando na Praia de Copacabana ao lado de nosso povo”, afirmou durante convenção que oficializou a candidatura de Tarcísio de Freitas ao governo de São Paulo (leia sobre o evento mais abaixo).

Ainda durante a convenção, o presidente afirmou que o próximo 7 de Setembro será não apenas uma comemoração dos 200 anos da Independência, mas um “marco para mais 200 anos de liberdade”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Metrópoles (@metropoles)

No último domingo (24/7), ao oficializar sua candidatura à reeleição da Presidência, Bolsonaro convocou apoiadores para irem às ruas no dia 7 de setembro “por uma última vez”.

“Nós somos a maioria, nós somos do bem, nós temos disposição para lutar pela nossa liberdade, pela nossa pátria. Convoco todos vocês agora para que todo mundo, no 7 de Setembro, vá às ruas pela última vez”, disse.

Candidatura de Tarcísio

Mais cedo, neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro participou da convenção que oficializou a candidatura do ex-ministro Tarcísio Gomes de Freitas ao governo de São Paulo.

Em seu discurso, o chefe do Executivo federal comemorou o acontecimento e disse que Tarcísio “é uma marca de seu governo”.

Tarcísio de Freitas tem 47 anos e nasceu no Rio de Janeiro. Se formou em ciências militares pela Academia Militar de Agulhas Negras (Aman) em 1996 e passou a atuar como oficial do Exército. Em 2002, concluiu a graduação em engenharia civil e tornou-se engenheiro do Exército. Em 2008, deixou a carreira militar, com a patente de capitão, e entrou para o funcionalismo público federal.

Tarcísio foi ministro do governo Bolsonaro entre janeiro de 2019 e março de 2022, quando deixou o cargo na Esplanada para disputar o Palácio dos Bandeirantes.

Durante sua gestão em frente ao Ministério da Infraestrutura, Tarcísio era tido como favorito do presidente Jair Bolsonaro e ganhou o apelido “Tarcisão do Asfalto” e “entregador de obras”.

O ex-ministro chegou a ser cotado para compor como vice a chapa de Jair Bolsonaro à reeleição. Na época em que o assunto ainda era discutido, aliados diziam que Tarcísio de Freitas era um “neófito da política” e tinha a confiança e a discrição que o atual titular do Palácio do Planalto desejava, sobretudo diante das recorrentes discrepâncias de opinião entre ele e o atual vice Hamilton Mourão (Republicanos).

Mais lidas
Últimas notícias