Aziz defende acareação entre Onyx Lorenzoni e Luis Miranda

As suspeitas são de que Onyx tenha apresentado documento falsificado para desmentir denúncias feitas pelo deputado

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que a comissão deverá fazer uma acareação entre o ministro a Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni, e o deputado Luis Miranda (DEM-DF), autor das denúncias de omissão do presidente da República, Jair Bolsonaro, perante as suspeitas de superfaturamento na compra das vacinas indianas Covaxin.

“Deputado Luis Miranda afirmou que podia mandar um dossiê e não trouxe nada. Então, vamos fazer uma acareação entre os dois, dois deputados federais, o Onyx que foi pra televisão, para ver quem está mentindo. Seria a melhor coisa do mundo que a gente poderia fazer”, disse Aziz, durante o depoimento do consultor o Ministério da Saúde, William Amorim.

Onyx terá a convocação votada na próxima semana, a pedido do relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL).As suspeitas são de que ele tenha alterado documentos para apresentar uma defesa do governo diante das denúncias feitas pelo deputado Luis Miranda.

Dados da nota fiscal apresentada por Onyx não batiam com informações do documento apesentado pelo consultor técnico cedido ao Ministério da Saúde William Amorim Santana, ouvido nesta sexta-feira (9/7).

Governistas

Os senadores governistas querem que os Onyx e Miranda prestem depoimentos individualmente primeiro para, então, prosseguir para uma acareação.

“Acho que a acareação é um recurso da CPI, assim como é também a quebra de sigilo. Mas ela só acontece quando se ouve as duas partes. Se ouve a primeira, se ouve a segunda. Se houver dúvidas em relação a isso, você promove a acareação”, defendeu o senador Marcos Rogério (DEM-RO).

Segundo ele, não pode existir acareação antes de se fazer a oitiva individual de cada um. “Pode até ser uma forçação do presidente ou de alguém, mas isso não é possível”, disse.