Aras assistirá ao vídeo para decidir possível depoimento de Bolsonaro

Procurador-geral da República vai assistir neste final de semana ao vídeo da reunião ministerial de 22 de abril

O procurador-geral da República, Augusto Aras, vai assistir neste final de semana ao vídeo da reunião ministerial de 22 de abril para decidir, depois, se existem diligências a serem pedidas, ou se já encaminha a investigação sobre a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Polícia Federal para o final. Ou seja, para a oitiva do chefe do Palácio do Planalto. As informações são da colunista Andréia Sadi, do G1.

O depoimento de Bolsonaro será o último ato do inquérito, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). A Procuradoria Geral da República (PGR) considera que o inquérito está da fase intermediária para o fim, e espera que a investigação se encerre no prazo de 60 dias.

Segundo a colunista, Aras quer “formar juízo” sobre o vídeo para se manifestar sobre os próximos passos. Até agora, ele recebeu relatos de assistentes da procuradoria que acompanharam a exibição do vídeo.

O procurador também considera que o depoimento de Paulo Marinho era necessário, mas avalia que o inquérito só usará informações do empresário se ele revelar fatos novos. Aras tem dito, nos bastidores, que não pode transformar o vídeo “em um carnaval”.