*
 

Após a prisão do deputado federal João Rodrigues (DEM-RJ) nesta quinta-feira (8/2), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiu se manifestar sobre o que será feito com os mandatos dos “parlamentares presidiários”. Paulo Maluf (PP) e Celso Jacob (PMDB) já cumprem suas penas, devido a condenações criminais.

No caso de Maluf, Maia afirmou que a Casa vai cumprir a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de decretar a cassação do mandato do parlamentar. O presidente disse ter encaminhado o processo para a Corregedoria da Câmara. Ele garantiu que o deputado será ouvido e, por meio de um parecer, o caso será remetido à Mesa Diretora, que pode determinar a perda do mandato.

“Não vou deixar de cumprir a decisão judicial. A decisão judicial é para que eu encaminhe à Mesa a cassação. Eu encaminho à Corregedoria, que vai ouvir o deputado Maluf, é um direito legal que ele tem. Depois disso, a Mesa vai decidir pela cassação do deputado Maluf”, reforçou Maia.

Sobre Celso Jacob, o presidente da Câmara afirma que irá aguardar o julgamento dos recursos interpostos pela defesa do deputado. O parlamentar está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, desde junho de 2017, condenado pelos crimes de falsificação de documento público e dispensa de licitação quando era prefeito de Três Rios (RJ).

Em relação ao caso mais recente, a prisão de João Rodrigues (PSD-SC), Maia informou que a Casa ainda não foi notificada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, portanto, só após essa formalidade ele irá se posicionar e tomar as medidas cabíveis. Rodrigues foi condenado em segunda instância por fraudes em licitações, quando era prefeito da cidade de Pinhalzinho (SC), em 1999.

 

 

COMENTE

Câmara dos DeputadosPolíticaRodrigo MaiaDeputados Presos
comunicar erro à redação

Leia mais: Política