*
 

Nos próximos dias, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) debaterá as modificações feitas pelo governo na proposta orçamentária para 2018 (PLN) 20/17.

Devido a alteração da meta fiscal para um déficit de R$ 159 bilhões em 2018, o governo encaminhou novo projeto. Com as modificações, a CMO reabriu os prazos para emendas individuais dos parlamentares, das comissões e das bancadas nesta quinta-feira (9/11), às 19 horas.

O senador Dário Berger, presidente da comissão, justificou a medida. “A peça orçamentária do governo, encaminhada definitivamente agora nos últimos dias, modificou bastante aquela originalmente destinada”, afirmou.

Já o deputado Bohn Gass (PT-RS) protestou contra cortes em diversos programas e o aumento de gastos com a dívida pública.

“O governo elevou o pagamento de juros e encargos da dívida para 2018. Quando é para pagar banqueiro, rentista; quando é para pagar encargo da dívida, juros, rentistas, banqueiros; aí não tem meta fiscal, não tem problema fiscal. Mas quando um professor reivindica manter uma universidade aberta, quando um agricultor reivindica um recurso para poder produzir alimento, ou quando alguém que não tem teto vai pedir uma moradia, aí o governo não pode ajudar porque ‘tem de cuidar da meta fiscal’”, criticou.

A CMO aprovou na quarta-feira (8) quatro mensagens presidenciais, abrindo R$ 417 milhões em créditos para pagamentos de encargos financeiros e dotações para diversos ministérios. (Com informações da Agência Câmara)

 

 

COMENTE

CMOPLLei orçamentária 2018
comunicar erro à redação