*
 

Futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS) não descartou abrigar a Fundação Nacional do Índio (Funai) em sua pasta. Embora esteja “carregado de funções”, com a missão de controlar o Esporte, a Cultura e receber parte do ministério do Trabalho, Terra aceitaria a missão, embora discorde. Ele falou também que a Funai poderá ir para a Secretaria de Governo ou Direitos Humanos.

“Disse para o presidente e para o Onyx [Lorenzoni] que não tem problema se [Funai] vir para o nosso ministério. Estamos preparados caso venha. Agora, acho que pelo relevo que tem, tem que ser um ministério que tenha estrutura maior para se dedicar a isso especificamente”, opinou Terra.

[Ir para o ministério do] Direitos humanos é bom, pode ser bom. Tem vários lugares que pode ficar, até na Secretaria de Governo. Tem que ser um ministério que dê relevância ao tema. O meu está com muita coisa relevante"
Osmar Terra, futuro ministro da Cidadania

A Secretaria de Governo, com status de ministério, ficará a cargo do general Carlos Alberto dos Santos Cruz. Já a pasta de Direitos Humanos ainda não teve um nome indicado, assim como a do Meio Ambiente.

Indicado a ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro disse nesta quarta-feira (5/12) que a Funai poderá seguir vinculada ao Ministério da Justiça no próximo governo, como é atualmente. “Ainda está indefinido, pode ser até que fique no Ministério da Justiça, pode ser que saia. Está sendo discutido”, comentou.

Na segunda-feira (3), o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, apontou a possibilidade de a Funai ser absorvida pelo Ministério da Agricultura. No entanto, no dia seguinte, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, rebateu Onyx e afirmou que a Fundação iria “para algum lugar”, que não a Agricultura.