Relator pede mais tempo para finalizar novo voto complementar

Mais cedo, Ramos se reuniu com coordenadores de bancada para tentar chegar a um acordo sobre os trâmites do colegiado

Igo Estrela/MetrópolesIgo Estrela/Metrópoles

atualizado 03/07/2019 14:48

Pressionado por outros parlamentares, o relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), pediu mais tempo para o presidente da comissão especial, Marcelo Ramos (PL-AM), para finalizar as mudanças no voto complementar. A sessão, que estava marcada para às 13h desta quarta-feira (03/07/2019), só deve ser iniciada com a presença do tucano, por volta das 15h.

Mais cedo, Ramos se reuniu com coordenadores de bancada para tentar chegar a um acordo sobre os trâmites do colegiado nesta fase da tramitação do texto substitutivo. Entretanto, como não há um consenso em torno do voto complementar apresentado na terça (02/07/2019), também não houve entendimento sobre as sugestões de mudanças no parecer.

Já foram apresentados 109 destaques, sendo 85 individuais e 24 de bancada. Na sessão desta quarta, Ramos vai analisar um requerimento de retirada de pauta. Só depois disso que o relator pode ler o novo voto. Contudo, se o requerimento for aprovado, a leitura é adiada e o presidente do colegiado convoca um novo encontro. Se, todavia, o pedido de retirada de pauta for negado, todos os cinco requerimentos de adiamento de votação são automaticamente prejudicados.

Dessa maneira, o colegiado é obrigado a dar início à análise dos destaques é à votação. Lideranças partidárias, no entanto, são contrárias à apreciação do novo texto substitutivo ainda nesta quarta, porque as sugestões de alterações foram realizadas baseadas tanto no relatório apresentado em 13 de junho como no parecer lido na terça.

Últimas notícias