*
 

A bancada do PTB na Câmara dos Deputados decidiu manter a indicação de Cristiane Brasil (RJ) ao Ministério do Trabalho. A decisão foi anunciada pelo líder do partido na Casa, Jovair Arantes (GO), após reunião da sigla nesta terça-feira (6/2). A parlamentar foi nomeada pelo presidente Michel Temer (MDB) para a pasta, mas teve sua posse suspensa após liminar do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2).

Segundo Arantes, os deputados federais do partido “consideram que a parlamentar tem a competência e as condições necessárias para comandar a pasta”. O líder afirmou ainda que, de acordo com a avaliação da sigla, o Judiciário estaria interferindo em uma atribuição privativa do presidente, a indicação dos ministros de Estado.

Conforme informou, a bancada do PTB aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a posse de Cristiane no Ministério do Trabalho. A expectativa é que a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, julgue o recurso até o Carnaval.

Após sucessivas apelações negadas pela Justiça Federal do Rio de Janeiro, a defesa de Cristiane Brasil entrou com um pedido de suspensão de liminar no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que liberou a posse. Uma decisão provisória da ministra Cármen Lúcia dois dias depois, no entanto, impediu a realização da cerimônia.

Filha do presidente nacional do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, Cristiane foi indicada ao ministério pelo pai. Mesmo após as derrotas judiciais, o Palácio do Planalto tem sustentado o nome da parlamentar em troca de apoio do partido à reforma da Previdência.

Em nota divulgada nessa segunda (5), Cristiane afirmou que vem sofrendo “uma campanha difamatória” para impedir sua posse. “Peço, respeitosamente, à ministra Cármen Lúcia, que julgue o mais rápido possível essa questão”, informou a deputada.

Polêmicas
Em meio à batalha judicial para sua posse no Ministério do Trabalho, Cristiane Brasil protagonizou várias polêmicas. No último domingo (4), foram reveladas gravações de uma reunião entre a parlamentar e servidores públicos do Rio de Janeiro. Na conversa, ela os ameaça de demissão caso não fosse eleita para a Câmara dos Deputados.

A deputada também é alvo de um inquérito policial que apura suspeitas de tráfico de drogas e associação para o tráfico durante a campanha eleitoral de 2010. A investigação foi enviada na última sexta-feira (2) à Procuradoria-Geral da República.

Cristiane também recebeu críticas após a publicação de um vídeo no qual se defende dos processos que enfrenta na Justiça do Trabalho, ao lado de quatro homens descamisados em uma lancha.

Cristiane Brasil foi condenada em ação movida por um motorista que prestou serviços para ela. De acordo com a sentença de 2016, a deputada devia ao ex-funcionário R$ 60 mil. Fernando Fernandes Dias trabalhou sem carteira assinada no período de 29 de novembro de 2011 a 10 de janeiro de 2015.

No início de janeiro deste ano, a parlamentar foi alvo de outra polêmica, envolvendo, dessa vez, uma viagem de Ano-Novo a Fernando de Noronha. A deputada hospedou-se com um grupo de amigas no hotel de trânsito da Força Aérea Brasileira (FAB) durante a virada do ano. A excursão é atualmente objeto de investigação do Ministério Público Federal de Pernambuco (MPF-PE).